sexta-feira, 20 de maio de 2011

As consequências dos sete pecados capitais

Os pecados capitais são chamados assim porque são como a cabeça, o princípio de muitos outros. Somos, antes de mais nada, inclinados a eles e, a partir deles, a outros pecados que geralmente são mais sérios.
Assim, a vanglória ou vaidade leva à desobediência, à gabolice, à hipocrisia, à alegrar-se com a rivalidade, à discórdia, à curiosidade ou amor por novidades e à teimosia. É um vício que pode nos levar às mais lamentáveis quedas e até à apostasia. A preguiça espiritual ou acédia, isto é, o desgosto pelas coisas espirituais e pelo empenho na santificação devido ao esforço que esta requer, é um vício diretamente oposto ao amor a Deus e à alegria santa que resulta dele. A acédia leva à malícia, rancor ou amargura para com o nosso irmão, covardia diante do dever a ser comprido, desencorajamento, torpor espiritual, esquecimento dos preceitos espirituais, a busca de coisas proibidas. Pela cessão à vanglória, orgulho e acédia, muitos perderam a sua vocação.
Da mesma forma, a inveja ou desprazer diante do bem de alguém, como se fosse um mal para nós, leva ao ódio, à calúnia, à alegria pela desgraça alheia e à tristeza frente ao seu sucesso. Gula e sensualidade também produzem outros vícios: cegueira espiritual, dureza de coração, apego a vida presente, e até mesmo perda da esperança na vida eterna e amor a si mesmo até o ponto do ódio a Deus e impenitência final.
O orgulho espiritual induz-nos, por exemplo, a fugir daqueles que nos corrigem, mesmo quando eles têm a autoridade de fazê-lo e estão agindo com justiça; pode mesmo nos induzir a conservar um certo rancor contra estas autoridades. Quanto à gula espiritual, ela pode nos levar a desejar consolações sensíveis nos atos de piedade, ao ponto de buscarmos a nós mesmos mais do que a Deus. Do orgulho espiritual origina-se o falso misticismo.
Além disso, certos defeitos se parecem com algumas virtudes: por exemplo, o orgulho é algumas vezes similar a magnanimidade. É importante ter discrição ou prudência cristã para discernir claramente a virtude e o defeito que em certos aspectos se assemelha a ela. De outra forma notas falsas podem surgir do teclado das virtudes: por exemplo a pusilanimidade pode ser confundida com a humildade, a severidade com a justiça, a fraqueza com a misericórdia.
Comunidade Católica Shalom
Postar um comentário