quinta-feira, 30 de julho de 2009

Cura e libertação.

Descobrindo as maldições
Nós vivemos em meio a uma geração feridenta e uma era satânica, uma geração de maldição, pois nos dias atuais os pais amaldiçoam a casa e até os próprios filhos.
Mais em fim quero tratar de expor de como descobrir as maldições que nós muitas vezes temos, nestes quatro anos de ministério de cura e libertação, nunca vi tantas maldições serem quebradas nos encontros e nos atendimentos de oração.
As maldições se manifestam de diversas maneiras, tanto física como espiritual.
Existem maldições hereditárias as que são mais freqüentes nas pessoas, as características gerais das maldições:
*Depressão mental ou emocional com características hereditárias e aparecem sempre em vários membros da família.
*Doenças sem diagnósticos que tratadas reaparecem em locais variados, repetidas vezes e de uma maneira crônica.
* Abortos freqüentes e problemas nas mulheres da família.
*Adultério.
*Destruição constantes na família e alienação da família em geral.
*Insuficiência financeira, mesmo quando a renda é boa. O dinheiro acaba, não se sabe como. OBS: Cuidado que pode ser também pessoas que não sabem administrar o seu próprio dinheiro.
*Acidentes constantes.
Essas são as maldições que acontecem de modo repentino na família.
Esses outros que citarei são sinais físicos, são manifestações de maldições que acontecem dentro de casa:
*Formigas: São formigas que aparecem do nada e empestam a casa, você tira e elas sempre aparecem, colocam veneno e mesmo assim elas retornam. OBS: Não pense que quando você abrir o seu armário não vai ter umas formiginhas no açúcar, isso é normal. Jogue água Benta exorcizada na casa ou peça a um sacerdote para dar uma benção, com isso há uma quebra.
*Bichos de estimação: São animais que sofrem mudança de extinto rapidamente, ou seja, são mansos e de repente ficam valentes.
*Invocação dos mortos e envolvimentos com as forças ocultas: Traz sobre a pessoa forças malignas, satanás fará opressão sobre ela fazendo com que ela fique uma pessoa rejeitada e perturbada.
Você que quer ser liberto visite uma comunidade católica ou um grupo de oração da sua paróquia, procure o ministério de cura e aconselhamento e peça oração, depois peça aos ministeriados que façam com você a oração de Renúncia e renovação das promessas batismais.
Até a próxima!
Diego Tales.
Com Deus até o fim mesmo sem entender.
Envie sua pergunta e sugestão. (No final do Blog se encontra o formulário de contato).
Read More

quarta-feira, 29 de julho de 2009

domingo, 26 de julho de 2009

A paz!

A próxima formação é : Descobrindo as maldições! nestas formações que você possa renunciar a tudo que lhe prende a este mundo de pessoas feridentas, e todas as maldições possam ser destruidas.
Com Deus até o fim mesmo sem entender!
abração a todos que acompanham o blog.
Read More

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Maldições


“Amou a maldição: que ela caia sobre ele! Recusou a benção: que ela o abandone! Seja coberto de maldição como de um manto: que ela penetre em suas entranhas como água e se infiltre em seus ossos como óleo.” Sl 108, 17s

Em uma área muito forte quero tocar agora, quero abordar a maldição em si ou nas pessoas com quem você pode está convivendo.
Quantas pessoas com quem vivemos nos dia-a-dia têm de tudo para ser feliz e vive em um mundo de amargura e desânimo, os seguidores do espiritismo dizem que você está pagando por algo que você fez na outra vida, pois foram pessoas más, mais não existe mesmo esta história de reencarnação, pois só vivemos uma vez, morremos uma vez e logo somos julgados, está tudo provado na Sagrada Escritura em Heb 9,27: “Como está determinado que os homens morram uma só vez, e logo em seguida vem o juízo”, por isso não se deixe enganar pelos espíritas Kardecistas.
Uma maldição pode surgir de uma simples palavra, que alguém tenha autoridade sobre outra. Se um pai lança uma palavra de maldição sobre seu filho mesmo ele não tendo consciência, ele esta autorizando a satanás de destruir toda a sua vida, pois nossas palavras têm um imenso poder.
“Morte e vida estão as mercê da língua” Prov 18,21ª.
Será que você sofre sobre um peso de uma maldição que alguém da sua família ou quaisquer pessoas lançou sobre você? Temos de ter cuidado com as pessoas que andamos, pois quantas delas falam mal de Deus, das pessoas, e não se valorizam essas pessoas já trazem sobre si maldições enormes, e só um simples fato de ouvir aquelas palavras você pode estar absorvendo alguma maldição. Deus quer que usemos nossos lábios para pronunciar benção e não para amaldiçoar ou difamar e menosprezar e murmurar, pois tudo isso dá liberdade para satanás de cumprir seus designo em nós.
Quantas vezes você já ouviu a palavra Desgraçado? Acredito que várias vezes, ao momento que pronunciamos está palavra dizemos que aquela pessoa está fora da graça de Deus, quantas vezes alguém já lhe chamou assim? Talvez não se lembre pois você era criança? Ou você já chamou com alguém? E seu filho quantas vezes você o chamou de: danado ou atentado? Não diga mais são palavras totalmente satânicas.
Quantas vezes quando você era criança lhe amaldiçoaram com estas palavras: praga, troço, peste, diabinho, safado, coisa, besta, não vale nada, vá para o inferno, não vale o que come..., e isto pode ser o motivo de muitas vezes dessa tristeza e coisas que nunca dão certo em sua vida, pois existem pessoas cobertas de maldições.
Mais podem renunciar a tudo isso, pois Tudo posso naquele que me fortalece, quem quer viver e vive em Cristo é nova Criatura, se você deseja segue a oração de quebra de maldições:

+ Senhor Jesus eu (seu nome completo), quero ser a partir de hoje uma nova criatura, quero hoje em teu nome e no poder do Teu sangue derramado na Cruz quebrar toda e quaisquer maldição que jogaram contra mim e toda a minha geração, em Teu nome quebro e desligo de minha vida, de meus filhos, parentes... toda e qualquer maldição, repreendo toda e qualquer palavra de maldição, que vá aos pés da Cruz toda maldição de magia negra, feitiço, vexame, sedução, azares, poderes psíquicos, fascínio, bruxaria que foram colocados sobre mim e toda a linha da minha família, maldições que foram colocadas por pessoas em fontes de ocultismo ou qualquer fonte psíquica, e ordeno que todo espírito imundo que me perseguia me deixem agora em nome de Jesus, vem o Virgem Maria e destrua a todo cativeiro de satanás, que as obras de satanás que me corrompiam sejam amaradas aos pés da cruz pois só de lá vêm todo remédio, e declaro hoje o Senhorio de Jesus da minha vida e minha família, pois fui comprado(a) pelo seu Sangue, Declaro e proclamo Jesus é o Senhor!Amém. Creio, Ave-Maria, Pai nosso.

Diego Tales
Com Deus Até o Fim Mesmo Sem Entender
Read More

terça-feira, 21 de julho de 2009

Jesus é o Senhor!

Baixe a música do XXVIII Congresso Nacional da Rcc
Carol Zabisk, da Rádio Beatitudes, cometa: “Várias pessoas nos procuram e nos dizem que a música é forte. Ela tem nos ajudado, além de divulgar o Congresso, a motivar toda nossa missão.”
Clic no link abaixo!
http://www.rccjovem.com/congresso/wp-content/uploads/Jesus_e_o_Senhor.mp3
Read More

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Ser santo de calça jeans

Ser jovem é muito bom. É nessa fase da vida que nossos sonhos desabrocham, é nessa fase da vida que queremos mudar tudo e todos.

Uma fase de fazer a diferença!

"Deus faz a diferença. Mais ainda: Deus nos faz diferentes, nos faz novos" (Bento XVI).

Unir minha jovialidade à certeza de que Deus está comigo é totalmente possível, Ele não me tira nada, pelo contrário, me dá tudo! Ele se faz meu amigo no presente e tem a minha história na Sua mão: nela segura firmemente o meu passado, com as fontes e os alicerces do meu ser; nela guarda ansiosamente o futuro e me faz vislumbrar a mais bela alvorada de toda a minha vida. É com essa mão forte que conto quando caio e não quero ficar largado no chão. Ele tem a voz que ecoa no silêncio do meu coração me acordando para a vida.

"Quando o jovem não se decide, corre o risco de ficar uma eterna criança!" (Bento XVI).

Não quero ser criança, quero crescer! Quero me decidir! Hoje me decido a ser santo! Santo de calça jeans.

Tomo a coragem de ter decisões definitivas porque sei que, na verdade, são as únicas que não destroem a minha liberdade, mas criam a justa direção, possibilitando-me seguir em frente e alcançar algo de grande na vida. Algo que me é garantido!

A vida eterna!

Dentre todas as minhas decisões! Encontra-se esta:

Quero ser santo de calça jeans.

Quero estar no mundo; e saber saborear as coisas puras e boas do mundo, mas que não quero ser mundano! Sou cristão! Sou católico! E me decido a amar esta Igreja que é viva e é jovem!

E você, qual a sua decisão?
Adriano Gonçalves
Com. Canção nova
Read More

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Oração de Renúncia (Silvinho Zabisky)

Declare Jesus seu Senhor e Rei, reze a oração de renúncia e libertação:
“Só Jesus é O Senhor. E mais ninguém.Isto não é só reconhecimento. Isto é fato. Jesus é O Senhor e O único Senhor. E sendo Senhor Ele tem poder de nos curar, de nos restaurar, de animar nossa caminhada, de libertar nossa vida e intimidade conjugal. Jesus sendo O Senhor tem poder e o domínio sobre todo espírito que queira nos perseguir ou que tenha perseguido nossa linha de família.
Jesus tem poder sobre todo e qualquer espírito que se manifeste. Jesus domina todo demônio. Jesus tem senhorio sobre toda doença e falsa enfermidade advindas de espíritos malignos. Jesus é O Senhor.
Jesus é Rei sobre nossa saúde. Portanto, O Senhor pode me libertar e libertar minha casa de vícios de bebedeira, cigarro e orgia. Porque Jesus é O Senhor de mim.
Jesus é dono, proprietário de minha vida, de meu passado, presente e futuro. Não pertenço a ninguém, a criatura alguma ou a demônio nenhum que tenha submetido minha vontade. Sou do Senhor e O Senhor anula toda e qualquer forma de consagração que foi feita em espiritismo, em magia negra e missas negras, em matas, debaixo de cachoeiras, benzimentos, banho com águas cruzadas, banho de pipoca ou consagração a entidades. Jesus é O Senhor.
Nenhum espírito tem poder sobre mim Porque Jesus tem este poder. Por causa disso eu renuncio com toda a força de minha mente, do meu coração e da minha vontade a influencias espirituais de demônios como oxossi, preto-velhos, iansã, Oxalá, erê, zé pelintra, caboclo, o baiano, o sete-flexas, iemanjá e Cosme e Damião, índio, aos guias da umbanda e da macumba, do saravá. Renuncio a xangô, ao congá, ao espírito da benzedeira e do curandeiro, ao tranca-rua, ao exu capa-preta e exu caveira, ao espírito de são jorge e de são cirpiano e a todos os outros. Jesus é o único com poder sobre mim e sobre minha vida.
Renuncio pelo poder de Jesus, de suas cinco chagas e pela intercessão de Maria e de São José a todo ato de consagração e batismo em seitas ou espiritismo. A toda consagração ou cruzamento feito da minha pessoa ao espiritismo, magia negra ou falsa religião.
Renuncio aos remédios, passes espíritas, cirurgias e tratamentos mediúnicos. A todo trabalho e despacho, maldições, pragas, maus-olhados que lançaram sobre mim e minha família.
Renuncio à pornografia em Nome de Jesus… Renuncio a filmes, músicas e livros contrários a são doutrina da salvação.
Renuncio a toda entidade que já tenha se apossado de mim no passado e que até hoje me fazia ter medo a noite ou sonhar com este fato. Meu Passado pertence ao meu Único Senhor.
Renuncio a todo envolvimento que tive com forças ocultas como tábua de ouija (ou brincadeira do copo), parapsicologia e poder da mente, yoga, mantras, pêndulo, projeção astral, reike, santo daime, cartomancia ou leitura de mãos, búzios, wicca, hallowen e horóscopo; viagens astrais, comunicação com os mortos, cânticos e pontos cantados de candomblé. Jesus é meu Senhor e único Senhor.
Renuncio ao espírito da superstição e descrença. A toda duvida ou confusão religiosa. Renuncio ao sortismo, cartomancia, quiromancia, controle da mente, energias advindas de objetos como pirâmides ou imagens como budas, animais, figas ou moedas.
Renuncio a todas as formas de sexualidade errada, de promiscuidade e envolvimento que tive com prostituição. Renuncio a espíritos de confusão sexual que deixam dúvidas sobre minha sexualidade. Renuncio ao espírito do divórcio, da violência e da derrota. Jesus é meu Dono e reordena minha vida.
Jesus é Senhor e Luz sobre as trevas que me atormentavam. Sobre minha solidão e depressão Jesus é O Senhor. Sobre meus medos e terror noturno Jesus é O Senhor. Sobre minha carência afetiva, sobre minha melancolia e sobre minhas experiências sexuais Jesus é O Senhor.
Sobre vícios de bebida, fumo, drogas, masturbação, fornicação, impureza, libertinagem, orgia, farra e brincadeiras de zombaria do meu irmão: Jesus é O Senhor. O meu Senhor.
Sobre minha ira, sobre minha inveja, sobre minha gula, sobre minha soberba, sobre minha luxuria, sobre minha avareza e sobre minha preguiça Jesus é O Senhor. E só Ele pode me transformar.
Eu renuncio a todo medo de perder algum familiar. Medo de Deus e do demônio. Medo de me conhecer. Medo de encarar os desafios e os problemas em minha casa, minha família e minha comunidade. Medo do futuro. Mede de doença. Medo de escuro. Medo de dormir a noite. Medo de ficar sozinho (a) em casa. Medo de anunciar o Evangelho.
Eu renuncio a todo espírito de desequilíbrio famílias, profissional e comunitário. Assumo que Jesus é o meu ponto de equilíbrio.
Em Nome de Jesus eu ordeno a todo espírito mal do qual tenha sido libertado, eu vá aos pés da cruz do Senhor. Jesus disponha deste espírito.
Mais que meu ministério dentro da comunidade. Mais que minha missão, que meu chamado e que minha vocação Jesus é O Senhor. Só a Ele eu sirvo e por isso sirvo ao irmão.
Jesus é O Senhor de minha comunidade. Jesus é O Senhor do Conselho da Comunidade. Jesus é O Senhor da rádio. Jesus é O Senhor de meu fundador e dos co-fundadores. Jesus é O Senhor deste tempo que estou aqui na comunidade. Jesus é O Senhor das minhas decepções e frustrações comigo e com as pessoas da comunidade. Jesus é O Senhor dos meus momentos de lágrimas e de saudades. Jesus é O Senhor do que eu faço. Jesus é O Senhor de minha família e filhos. Jesus é O Senhor do meu casamento. Jesus é O Senhor nas minhas amizades. Jesus é O Senhor do meu divertimento. Jesus é O Senhor do meu namoro. Jesus é O Senhor da Igreja Católica Apostólica Romana… o único Senhor. Amém
Oração do Creio.
Read More

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Cura Interior e a Libertação

Porque preciso de Cura interior e Libertação?
Todo ser humano tem necessidade e precisa de cura interior e de libertação, porque dificilmente uma pessoa não passou por sofrimento ou não foi contaminado por algo oculto, a cura interior, ela é a chave para a cura total. Muitas das nossas doenças físicas, não são apenas doenças, mas, são mais do que isto, são efeitos físicos, sinais de uma doença interior muito maior. É muito comum quando uma criança que esta carente de afeto, ela fica muito chorona, triste, desanimada, as vezes deita com ar de doença, a mãe ou alguém da família pergunta o que esta acontecendo ela diz que esta com uma dor as vezes na cabeça, na barriga, no ouvido, na garganta, etc. Naquele momento em que ela teve atenção da mãe, foi tocada, as vezes abraçada, ela sente afeto, carinho e atenção, vamos perceber que sempre que ela tiver carente de afeto, ela vai manifestar uma dor, isto vai tornar para ela uma válvula de escape, consequentemente um efeito de doença física. Na maioria das vezes as pessoas vão ter doenças em sua vida, muitas delas de fundo emocional, devido as suas carências, seus bloqueios emocionais e psicossomáticos. Estas pessoas vão até ser medicadas, isto até provoca um alivio, mantém a pessoa até equilibrada e muitas vezes a pessoa não pode parar de tomar remédio pelo resto da vida, mas não a cura . É muito comum até pessoa procurar um médico para fazer um bom diagnóstico, exames laboratoriais, até mesmo rx , ultra-sonografia , exames sofisticados, tem os sintomas, mas não manifesta a doença propriamente dita, outras vezes manifesta a própria doença. Outra situação é também mães que seus filhos ficaram doentes, devido a condição financeira ou até mesmo por costume levaram-no as benzedeiras espiritas e foram contaminadas, por isso necessitam de libertação, porque dentro da libertação, muitas contaminações se apresenta com efeitos físicos de doenças . Pessoas que tem vícios, nas drogas, alcoolismo ou de auto medicar, até podemos dizer que são pessoas com grande problemas emocionais ou de contaminação, pois cria em si muitas rejeições e doenças que são muito comum. A exemplo de doenças de fundo emocionais que podem acontecer; bronquites , asma, dores de cabeça ,enxaquecas , gastrites, ulceras, problemas de visão, de audição, dificuldades de falar a pessoa fica gaguejando, tiques nervosos, agressividade ou pessoas inertes (sem reações), etc . Não queremos dizer que todas essas doenças neste aspecto são de fundo emocionais , mas muitas delas são.

É Preciso Entender Agora o Falar de Cura Interiror
Quando tratamos desse assunto, é partindo do enunciado acima, de fatos vinda da Libertação, do que fez a pessoa buscar o ocultismo para as soluções dos seu problemas. As pessoas as vezes por problemas financeiros, atravessando dificuldades materiais, doentes fisicamente, psicologicamente, emocionalmente, afetivamente. Com vícios, sentido abandonados, afastados da Igreja, achando que Deus não gosta delas, por tantos problemas que esta passando, sem esperança de uma cura médica, ou Tratamento difícil e prolongado, tentaram resolver de outra forma, com operações espirituais, passes, benzimentos, medicamentos espiritas(garrafadas), banhos, simpatias, amuletos, esta pessoa é uma presa fácil para o Diabo e seu agouros. Nestes casos não foram envolvimentos casuais, mas totais e as vezes de toda a família, e até gerações de Filhos, Pais, Avós, Bisavós, Tataravós, que vira uma contaminação de gerações e doenças espirituais que vão sendo transmitidas uns para os outros decorrente destas situações de maldições.
Então não estamos só falando de Cura Física, mas Cura interior e de Cura Espiritual que é proveniente das contaminações malignas, e dos sofrimentos desde a nossa geração no ventre materno, da herança genética, consangüinidade, é nesta três dimensões que vamos falar.
Já sabemos que a Cura Interior (englobando a física e espiritual), e será esta o nome genérico que vamos usar para este processo de libertação total, onde vai se concretizar na proposto de Jesus: “Eu vim para que tenham vida e vida em abundância”(Jo, 10,10).
Pe. Vagner Baía.
Read More

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Paz de Jesus

Olá Gente, Paz do Coração de Jesus!
É uma grande alegria poder ter você aqui no blog o Senhor é Minha Luz, quem faz ele é você!
Mais vamos ao que nos interessa, fui convidado pelo meu Pároco a viajar para a Jornada Mundial da Juventude 2011 Em Madrid na Espanha, o que acontece é que a Diocese de Santa Luzia-Mossoró, entrou com uma doação para cada pessoa que vai das cidades de R$1.000,00 e as paróquias daria a outra, a Paróquia de Pau dos Ferros vai doar R$1.300,00 , com isso falta R$ 1.700,00 o que fica por minha conta,  fora o passaporte que ainda tenho que tirar para poder viajar, mais creio que Nossa Senhora a Mãe da Divina Providência não deixará faltar nada.
Gostaria de pedir uma pequena colaboração a vocês, o quanto puderem, a última prestação está para o mês de Julho, daqui pra lá tenho que ter quitado tudo. Conto com as orações e contribuições de vocês!
Para fazer sua doação utilize o botão do Pag Seguro:


Que Desde já Deus lhe abençoe!
Com Deus Até o Fim Sem Entender
Diego Tales de Lima Vidal

Fone: (84) 3351-2704 (Paróquia Nossa Senhora da Conceição-Pau dos Ferros, RN)
Read More

sábado, 4 de julho de 2009

A estratégia por debaixo de << O código da Vinci >>


A estrat&eactute;gia por debaixo de «O Código da Vinci»
Entrevista com o escritor Mark Shea

SEATTLE, terça-feira, 6 de março de 2006. Milhões de pessoas em todo o mundo leram «O Código da Vinci», e muitas mais esperam ver a versão cinematográfica que estreará em 19 de maio.

Por isso, Mark Shea e Ted Sri --escritor e professor de Teologia, respectivamente-- escreveram o livro «A decepção do Código da Vinci» («The Da Vinci Deception», Ascension), uma guia que marca a diferença entre os fatos e a ficção narrados no livro de Dan Brown.

Shea explicou a Zenit nesta entrevista os principais erros contidos no livro e por que o texto &eactute; uma ameaça para a f&eactute; dos cristãos.

--O que os levou a escrever este livro?

--Shea: Dezenas de milhões de pessoas leram «O Código da Vinci», e muitas viram como sua f&eactute; em Cristo e na Igreja Católica ficava abalada. Este livro converteu-se em um enorme fenômeno cultural, em grande parte porque ataca a verdadeira pessoa e missão de Jesus Cristo. Isso deve ser corrigido.

A resposta no longo prazo &eactute; que «O Código da Vinci» converteu-se na fonte do que eu chamo de «pseudoconhecimento» sobre a f&eactute; cristã.

O pseudoconhecimento &eactute; esse que «todos conhecem», mas que &eactute; irreal. Mas importa realmente quando afeta negativamente as crenças mais sagradas de bilhões de pessoas, e quando acusa a Igreja Católica de ser uma grande «associação de delinqüentes», fundada sobre a mentira da divindade de Jesus e de sua ressurreição.

Quando isso acontece, gênios muito desagradáveis saem de suas garrafas, como quando as mentiras registradas pela polícia czarista do s&eactute;culo XIX, nos «Protocolos dos Sábios de Sião», converteram-se na base do que «todos sabem» sobre os judeus, justificação das terríveis perseguições anti-semitas do s&eactute;culo XX.

«O Código da Vinci» vendeu cerca de 30 milhões de exemplares. Em maio, estreará o filme e adquirirá uma autoridade indiscutível entre uma audiência de milhões de analfabetos históricos e teológicos, a não ser que os cristãos esclareçam os fatos e ajudem os espectadores a reconhecer o mal que lhes fizeram.

Quem diz que «não &eactute; mais que uma novela» simplesmente não compreende que nisto consiste o engano. As pessoas com freqüência aceitam em uma novela de ficção o que não aceitariam em um debate razoável.

E isto &eactute; sobretudo verdade porque Dan Brown, autor de «O Código da Vinci», afirmou recentemente que não mudaria nenhuma de suas asserções básicas no caso de que o que escrevesse não fosse uma novela. Brown pretende dizer que temos de compreender que suas afirmações sobre a origem do cristianismo são verdadeiras.

--Quais são os principais erros de «O Código da Vinci»?

--Shea: Não só há erros desmedidos sobre os fatos, mas tamb&eactute;m mentiras descaradas, grandes e pequenas, sobre praticamente cada uma das mat&eactute;rias que Brown toca em questões de arte, história e teologia. Dá a entender que documentos falsos, que equipara a suas questionáveis fontes rejeitadas, correspondem com os fatos.

Afirma que Leonardo da Vinci não dá a Jesus um cálice em seu quadro de «A Última Ceia» para dizer indiretamente que Maria Madalena &eactute; o verdadeiro cálice que leva o «sangue de Jesus» --ou seja, seu filho--, apesar do fato de que há treze copos na pintura.

Fala acerca do significado de uma palavra aramaica no evangelho gnóstico de Felipe, esquecendo o fato que esse texto está escrito em copta.

Apresenta Maria Madalena como a vítima de uma campanha de difamação católica, sem deter-se a perguntar-se por que &eactute; uma santa católica.

Culpa o «Vaticano» de vários complôs e conspirações que supostamente aconteceram s&eactute;culos antes que o Vaticano existisse para poder conspirar.

E, supostamente, na maior mentira de todas, declara que todo o mundo antes do ano 325 pensava que Jesus não era mais que um «profeta mortal» at&eactute; que Constantino obrigou o Concílio de Nic&eactute;ia a declará-lo Deus «por uma diferença escassa de votos».

Ele não parou a perguntar-se por que, se Jesus foi só um «profeta mortal», inquietou-se em fundar uma Igreja, nem o que foi da Igreja durante os 300 primeiros anos do cristianismo se ningu&eactute;m cultuava Jesus como Deus.

--São um desafio para a Igreja estas inexatidões?

--Shea: Brown está tentando estabelecer um mito inventado, feminista e neopagão. O mito básico &eactute;: Jesus era feminista, partidário ac&eactute;rrimo do neopaganismo. Supostamente, a Igreja cobriu tudo isto com mentiras sobre sua divindade. O ponto de vista de Brown &eactute;: regressemos ao culto à deusa como pretendeu Jesus.

Esta afirmação ridícula e sem nenhum fundamento &eactute;, supostamente, completamente contrária aos atos de Jesus. Mas muitos em nossa cultura acreditam, pois são analfabetos historicamente. De maneira que os católicos devem começar a catequizar-se não só a si mesmos, mas a suas famílias, amigos e vizinhos. Do contrário, deixarão que este mito daninho continue existindo.

--As recentes respostas violentas dos muçulmanos contra as charges de Maom&eactute; parecem assinalar crescentes tensões entre a religião e a sociedade. O que acha sobre o fato de que o filme saia precisamente agora?

--Shea: Sem dúvidas, os promotores do filme tentarão definir os protestos católicos contra as distorções dos fatos por parte de «O Código da Vinci» como idênticas às ameaças dos islamitas radicais à liberdade de expressão.

Agora esta afirmação tem um problema: a Igreja não aprova a queima de edifícios ou as ameaças de morte contra o povo, inclusive quando mentem sobre Cristo. Nós simplesmente e educadamente pedimos que os criadores de «O Código da Vinci» não nos divulguem insultantes mentiras como se fossem fatos.

Os criadores da cultura no Ocidente desacreditam com mais facilidade a Igreja que o Islã radical, pois sabem perfeitamente que o Vaticano lança ameaças de morte.

--Por que as pessoas levam tão a s&eactute;rio as novelas de Dan Brown?

--Shea: «O Código da Vinci» não &eactute; mais que uma manifestação do que eu chamo de o último «autêntico» Jesus, cada geração tende a descobrir o último autêntico Jesus.

Há cem anos, Albert Schweitzer descobriu que o «autêntico» Jesus era um Evangelho Social Protestante. Nos explosivos anos vinte, as pessoas descobriram que Jesus era um rapaz de um pôster publicitário. Nos trinta, os nazistas descobriram um «autêntico» Jesus que era ariano, não judeu, enquanto que os comunistas descobriram um Jesus que foi o primeiro «marxista».

Nos sessenta, descobriu-se que o «autêntico» Jesus era um filho das flores, amante dos fungos alucinógenos, o qual explicava de forma estupenda todas as visões e milagres. Nos setenta, o «autêntico» Jesus era um «superstar» ao modo dos ditames da cultura do rock.

Nos anos oitenta, apareceu em cena para prometer saúde e prosperidade e curar a tua criança interior, ao modo de quando sofria crises existenciais --lutando com sua libido e corroído pela dúvida sobre si mesmo--, como se fosse uma criança ensimesmada da geração do «boom», em «A última tentação de Cristo».

Nos noventa, de repente se descobriu que era um entusiasta homossexual na obra blasfema «Corpus Christi».

Hoje, vivemos em uma cultura obcecada com a vida sexual dos ricos e famosos, que crê com facilidade em amplas teorias da conspiração, repleta de noções sobre paganismo e feminismo, e hostil às noções tradicionais tanto de razão como de autoridade.

Por uma incompreensível coincidência, Dan Brown descobriu um «autêntico» Jesus que reflete perfeitamente esta ampla cultura vaidosa. E quando as pessoas criam coisas baseadas nesta cultura mutável, especialmente coisas malignas, isto &eactute; daninho para sua f&eactute;.

Nosso livro está pensado precisamente para ajudar as pessoas a que deixem de levar tão a s&eactute;rio «O Código da Vinci». Felizmente, Dan Brown e companhia nos puseram as coisas fáceis neste sentido.

É muito fácil demonstrar que suas afirmações no livro são falsas. Por isso, a melhor cura contra «O Código da Vinci» &eactute;, afinal de contas, um vendaval curativo de risos bem informado.
Read More