quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

A FORÇA DA MANIFESTAÇÃO DE DEUS

A ressurreição é o selo da veracidade da vida de Jesus e de sua morte. Jesus, como homem, morreu após haver pregado a Boa Notícia da chegada do Reino. Deus Pai o ressuscitou testemunhando, por este sinal de sua onipotência, da autenticidade da pregação de Jesus. Pedro diz no relato de Pentecostes: “Deus ressuscitou esse Jesus, e disto nós todos somos testemunhas” (At 2, 32). A propósito escreve João Paulo II: “A cruz não é a última palavra do Deus da aliança: essa palavra será pronunciada na alvorada quando as mulheres, em primeiro lugar, e os discípulos, depois, indo ao sepulcro do Crucificado, verão o túmulo vazio e proclamarão pela primeira vez: Ressuscitou!”

Tomé experimentou esta força da manifestação de Deus e ao reconhecê-lo ressucitado pode exclamar: Meu Senhor e Meu Deus! Esta experiência significa estabelecer Jesus como Senhor da nossa vida, da nossa história, do nosso passado, do nosso presente e do nosso futuro. Ela ainda faz de nós pessoas livres porque o projeto de Deus sobre nós é um projeto de felicidade. O senhor não quer nos oprimir, ao contrário, ele quer que sejamos tudo aquilo que o Pai pensou de nós. Ser o que o Pai nos fez nos realiza como pessoa. Portanto estabelecer Jesus como Senhor e Deus da nossa vida significa ser mais pessoa, mais humano e dar espaço para que os seus desígnios se cumpram em nossas vidas.

Jesus nosso Senhor e Deus nos encaminha para este processo de cura e crescimento em vista da missão que Deus nos deu. Assumir Jesus como senhor da nossa vida é adorá-lo. Nesta atitude de adorar o Senhor reconhecemos interiormente o lugar exclusivo que lhe pertence em nosso coração. Dirigimo-nos a Deus e reconhecemos como criaturas, a majestade e grandeza de Deus e a nossa total dependência dele. É a atitude fundamental de cada cristão consciente do mistério que o envolve e circunda. Eu me prostro diante de Deus, porque Deus é Deus. Não tenho a intenção de pedir-lhe nada, quero estar com ele, estar na sua presença, unida ao seu coração. Uno-me a ele para agradá-lo e faze-lo feliz. Simplesmente me prostro diante de Deus porque Ele é meu Senhor e meu Criador. É o Deus da minha vida!

O peixe vive na água. Fora dela começa a agonizar porque foi criado para viver na água. Nosso lugar é com Deus! Vivemos uma vida infeliz porque vivemos fora do nosso lugar, do nosso habitat que é Deus. Reconhecê-lo como Senhor e Deus é reconhecer que Ele é nosso único amor, nossa única riqueza e nosso único querer. Vivemos nele e para ele, portanto livres e libertos. Ele é um Senhor que não oprime, escraviza, mas nos ensina a sermos pessoa, homens e mulheres novos.

Jesus meu Senhor e meu Deus!

Fonte:

blog.cancaonova.com

Postar um comentário