sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

QUEREMOS A PELE DOS FUNDADORES



  • Fundadores nunca se imaginaram fundadores. Este é um ofício que nunca desejaram. Se pudéssemos entrevistá-los, saberíamos que o sonho de todo fundador é ter um fundador.

    Mas Deus não quis assim. Não existe uma constituição democrática para se designar um fundador. A maioria, mesmo por votação ou escolha humana, não conseguiria eleger uma pessoa para fundar uma obra de Deus. Nenhum partido conseguiria lançar a candidatura de um fundador. Eles simplesmente nascem de Deus para uma missão específica num altar pré-estabelecido.

    E como Jesus, fundadores já nascem predestinados a serem caçados. Bastam para os “novos Herodes” desconfiarem do surgimento de um fundador que a mesma taça de vinho tinto de morte transborda de suas mesas.

    Na verdade, fundadores não deveriam nascer homens e mulheres comuns. Eles deveriam ser super-heróis. Deveriam ser firmes e fortes como os homens de aço, assim agüentariam as pancadas do dia-a-dia; eles deveriam ter sido confeccionados com roupas especiais e voadoras para poderem voar de seus problemas pessoais e de suas fundações; Eles teriam que vir ao mundo com olhos e ouvidos biônicos para poderem adivinhar os problemas que todos nós temos. Deve ter sido um erro na Criação de Deus.

    Mas, ao contrário, os fundadores foram feitos normais. A imperfeição da humanidade os abraça e as misérias do pecado e das limitações pessoais os atormentam. Revelando assim, que esses tão admirados homens de Deus, na verdade, são bem fraquinhos e debilitados. Sendo assim, eles que nasceram como seres perfeitos não conseguem combater nem a favor da própria vida. Bando de fracotes são estes tais fundadores e fundadoras.

    Logo, estou entendendo porque fundadores choram e se arrastam para pegar o crucifixo mais próximo deles. E após encontrar este crucifixo, sempre escutaremos a frase “Porque eu senhor? Porque me escolheste para fundar? Eu não entendo nada.”

    Pronto. As feras ao redor do fundador escutaram e começaram sua caça. Elas estavam só aguardando o momento ideal para armarem suas presas e suas armadilhas. Mais um fundador está prestes a ser caçado e alimentar as feras de mães, pais, avós, tios, namoradas daqueles que sentirem o mesmo chamado que este fundador.

    O que será pior? Uma turma de famigerados demônios buscando vidas para destruir e almas para afundar no inferno ou alguém magoado com um fundador?

    Demônios não montam sites difamando um fundador; demônios não acusam por telefone, email ou MSN, Twitter, visitinhas violentas... Demônios não questionam com arrogância. Magoados, sim. Quando eu me magôo com um fundador nem os demônios me vencem. Quando um novo carisma se manifesta a taça dos novos Herodes se derrama em loucura e raiva.

    Um fundador incompreendido por suas palavras é um prato cheio para seus inimigos. Não importa o que já presenciei na vida de um fundador. Pouco interessa o que senti e vivi na presença de um fundador. Se a mágoa pegar alguém contra um fundador a famosa cegueira espiritual surge das cinzas do meu passado. Sou capaz de morar anos com um fundador e abandoná-lo em segundos se eu não concordar com suas partilhas, idéias e direções.

    Fundadores incomodam. Eles foram criados para isso. Fundadores são ousados e dizem coisas que muitas vezes ninguém falaria por causa do respeito humano ou da boa educação.

    A ótica dos fundadores é a da verdade de Cristo e não as maracutaia do mundo. Mesmo quando eles são surpreendidos nas fraquezas da mentira. É Deus quem age neles.

    Fundadores não cansam de questionar as pessoas e isso desperta a ira dos quietinhos.

    Fundadores se parecem muito com Jesus: atraem e convivem com pessoas, mas estão sempre solitários. Mostram amizade, mas sempre serão trocados por um pote de moedas. Fundadores atraem coroas de espinhos e cruz para si. Não porque querem, mas porque assim O Senhor quer.

    Fundadores também se parecem muito com Maria. Bastou o primeiro “sim” para não entenderem mais nada.

    Desde Jesus até os dias de hoje o espírito do mundo e o espírito da carne querem a pele dos fundadores.

    Em Jesus foi aberta a temporada de caça e nos fundadores a execução e a extração da pele.

    Alguém poderia socorrer os fundadores? Alguém poderia salvá-los, por favor? Até poderia acontecer isto, mas não vai. Fundadores irão para o deserto de suas vidas para serem tentados como todo ser humano. Eles comerão e beberão com seus irmãos, mas serão sempre incompreendidos. Fundadores morrerão como todo ser humano: sozinhos.

    Porém, o mais triste é que muitos que lerem este texto não entenderão o que estou falando. Mas sem perceber já devem ter golpeado um fundador senão com suas armas em punho, com suas línguas fora da boca. Mas tudo bem: deve ser assim também.

    Este texto não é uma defesa aos fundadores. Eles têm Deus como refúgio e cidadela. Mas é uma amostra das coisas que em secreto acontece a um fundador. Quando a estação dos fundadores passar, saberemos com mais precisão o que este texto quis nos contar.

    Se estas linhas viessem da ponta da caneta de Padre Pio, de João Paulo II ou de Agostinho, talvez ele fosse bem mais aceito. Como veio de mim, para poupar minha pele prefiro me identificar somente como “umaROSAnaJANELA”.

    Dedico meu respeito e minha gratidão a todos os fundadores e fundadoras que também ajudei a escalpelar com meus pensamentos e com meu agir.
     
    Silvinho Zabisky
    Comunidade Beatitudes

  • Postar um comentário