segunda-feira, 2 de abril de 2012

O AMOR QUE VEM DA CRUZ

O Batismo, cujo sinal original e pleno é a imersão, significa eficazmente a descida ao túmulo do cristão que morre para o pecado com Cristo em vista de uma vida nova: “Pelo Batismo nós fomos sepultados com Cristo na morte, a fim de que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também nós vivamos vida nova” (Rm 6,4). (Cat. §628)
Quando somos batizados, deixamos de ser criaturas de Deus para nos tornarmos em Cristo, Filhos de Deus. E quando isso acontece, passamos a fazer, ainda que de forma mística, parte do Corpo de Cristo. Falando de uma forma bem simples para você entender: Nos primórdios do cristianismo, a pessoa quando era batizada ela mergulhava nas águas. Ao fazer isso, ela estava “afundando” o homem e a mulher velha para que dali surgisse um homem novo e uma mulher nova.

Por isso dizemos que morremos com Cristo, e ressuscitamos com Ele. Essa é a boa nova que temos para hoje. Eu e você não somos chamados a uma vidinha mixuruca. Não somos chamados a uma sobrevida. Somos chamados a ter uma vida de alegrias em Cristo.
Vida Nova significa uma vida alegre, cheia de vitalidade. Não significa uma vida estragada pelo pecado. Essa é a vida velha. Quem decide pelo batismo, e mais pra frente faz a confirmação desse mesmo batismo (Crisma), é a pessoa que deseja esse novo viver.

É possível ser feliz e viver uma vida de plenas realizações estando longe do pecado. A alegria verdadeira não brota de uma vida de pecado. Ela vem do próprio Cristo que é cabeça da Igreja. Quem recebe essa alegria pode testemunhar isso. A alegria de Cristo permanece. A alegria das baladas termina quando a balada termina. Não digo que você precisa ser alguém que não se diverte. Muito pelo contrário. A diversão faz parte da vida. O que digo é que precisamos ter limites. Um homem novo tem limites. A mulher nova também viu? É possível ser feliz sem pecar.

Pode sair? Claro! Desde que você tenha consciência do lugar aonde você vai, e com quem você vai. Pode namorar? Com certeza! Desde que seja um namoro dentro dos limites de Deus e da decência. Vamos combinar! Católico derrubando o muro é feio! Católico “pegador” mais feio ainda! Católica piriguete melhor nem pensar! Mas se for um namoro decente pode sim.

Lembre-se: Castidade e Respeito são fundamentais. 
O que um homem e uma mulher ressuscitada com Cristo não pode fazer é pecar! O pecado sim é coisa de homens e mulheres velhos.
Que você possa viver em plenitude, mas sem pecado. Viver em abundância com alegria, com vida, com muitos amigos, e muitas realizações. Mas que possa ser um ano onde você viva tudo isso, sem desagradar o Senhor Jesus, pois você foi ressuscitado (a) Nele pelo Batismo.

Danilo Badaró
Postar um comentário