terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Retiro Quaresmal - Terça-feira da I Semana da Quaresma

"Pela misericórdia de Deus, eu vos exorto, irmãos, a vos oferecerdes em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus: Este é o vosso culto racional.
Não vos conformeis com o mundo, mas transformai-vos, renovando vossa maneira de pensar e de julgar, para que possais distinguir o que é da vontade de Deus, isto é, o que é bom, o que Lhe agrada, o que é perfeito" (Rm 12,1-2).

Eis aqui um texto que calha muito bem neste início de caminho quaresmal! Trata-se de um apelo que engloba e compromete toda a existência cristã...

"Pela misericórdia de Deus", começa o Apóstolo...
Veja, Irmão, que a misericórdia do Senhor não justifica malandragem espiritual, não serve para encobrir comodismo, não acoberta a permanência num estado de pecado! Antes, a misericórdia do Senhor compromete, exige: "O amor de Cristo nos impele", nos compromete a aderir verdadeiramente à Sua santa vontade!

Pela misericórdia de Deus, porque Ele Se revelou tão compassivo, tão amável, tão disposto ao perdão, tão desejoso de caminhar convosco, "eu vos exorto"!
Atenção, que pela boca do Seu Apóstolo, o Senhor mesmo nos exorta, nos ordens, nos impele!

Qual é a exortação? Do que se trata?
"Eu vos exorto a vos oferecerdes em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus!" Oferecer-se em sacrifício, isto é, fazer de si próprio um sacrum-facere, um fazer sagrado, uma entrega santa, uma oferta sagrada a Deus!
O Senhor nosso Deus não quer primeiro nossos bens, nosso fazer, nossas obras! O primeiro e essencial que Ele pede de nós é nossa própria vida, nosso afeto, nosso coração, em uma palavra: Ele nos quer totalmente, Ele quer nosso amor, Ele quer a nossa vida! Nunca esqueça: o nosso Deus é o Deus das primícias, Deus ciumento, que não aceita suborno!

"... vós oferecerdes em sacrifício..." Como não recordar Aquele que Se ofereceu a Si mesmo ao Pai por toda a humanidade? Nosso sacrifício é vivo porque é sacrifício da nossa vida, é sacrifício de nós mesmos e, por isso, nos custa tanto! Mas, além de vivo é santo, porque é imitação e participação no sacrifício de Cristo Jesus! E, por isso mesmo, é agradável a Deus, o Pai.

Pense um pouco: fazer de você, de toda a sua vida uma oferta ao Senhor, com Cristo, como Cristo e por Cristo! Não é pouco! É demais! Custa! É viver não para si, mas para o Senhor; é ter como centro, como critério não a você mesmo, mas o Deus Santo e a Sua vontade; é dizer com Jesus é como Jesus: "Eu venho, ó Pai, para fazer a Tua vontade!"

Insisto, meu Irmão querido no Senhor: o Senhor Deus que por você entregou Seu próprio Filho, espera que você faça da sua existência inteira uma entrega sacrifical a Ele: Cristo, "um só, morreu por todos, para os que vivem já não vivam para si mesmos, mas para Aquele que por eles morreu e ressuscitou!"

Tenho eu esta coragem, de viver e morrer para o Cristo de Deus? Tem você esta coragem? Viver assim, até dizer com toda verdade: "Para mim, viver é Cristo"? É este, precisamente, o culto que Deus deseja de nós, de você: uma vida inteira feita sacrifício, fazer sagrado!

"Este é o vosso culto racional", isto é, um culto consciente, livre, feito entrega, às vezes tão dolorosa, tão custosa, de toda a nossa vida! Tudo bem diferente das vítimas irracionais oferecidas nos sacrifícios judaicos! Exatamente porque "culto racional", "lógico", é tão custoso é tão preciso. Afinal, é livre de verdade quem, livre e conscientemente, oferece a Deus a sua liberdade, tornando-se livre de si mesmo, livre de sua auto-escravidão!

Quem vive assim, vive em êxodo, saindo de si mesmo, de seu modo de ver e de suas vontades, migrando sempre em direção do modo de pensar de Deus e da Sua santa vontade! Por isso, o Apóstolo continua, na sua exortação: "Não vos conformeis com o mundo!" Con-formar, tomar a forma! Não tomeis a forma do mundo: não tenhais o modo de pensar, de falar, de fazer, de viver do mundo! Ah, como é difícil: vivemos no mundo, nascemos neste mundo, convivemos neste mundo... E o Senhor nos manda que não nos conformemos com ele!

Então, a quem devemos nos conformar? A Cristo Jesus, o homem perfeito! Por isso mesmo, a Escritura ordena: "Tende em vós os mesmos sentimentos do Cristo Jesus!" Con-formados a Cristo, Cristo formado em nós! Que sonho! Que luta! Sair de mim do meu jeito é ir para mim do jeito de Cristo! "Transformai-vos, renovando vossa maneira de pensar e de julgar!"

Peça, Irmão, está graça! É a maior da vida! Já pensou: ter uma existência toda cristiforme, toda conformada a Cristo, por Ele plasmada?
Quem vive assim alcança a sabedoria divina, pois vê e julga tudo segundo o Coração de Deus; vive, pois, na verdade: "... para que possais distinguir o que é da vontade de Deus, isto é, o que é bom, o que Lhe agrada, o que é perfeito".

Mas, para chegar a este estado de perfeição, é necessário primeiro o combate espiritual, que me faz ir domando minha vontade é meus instintos e, assim, iluminando em Cristo meu entendimento, minha razão, meus sentimentos... Mas, além do combate, é indispensável o socorro dos sacramentos, que me dão o Espírito de Cristo como vida, como força, como amor que se Imola, como perdão e cura, como santificação!

Está aí o tanto de caminho quaresmal!
Pense nestas coisas! Olhe a sua vida!
Suplique ao Senhor que o renove, que lhe dê coragem e força para combater o que precisar ser combatido e mudar o que necessitar ser mudado!
Que a santa Páscoa nos encontre menos conformes ao mundo é mais conformes ao homem perfeito, Jesus, nosso Senhor, para a glória do Pai!

Reze o Salmo 17/18
Postar um comentário