quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Casamento gay: Jean Wyllys associa Bento XVI ao nazismo e o chama de genocida

Um dos principais defensores da causa LGBT na Câmara, o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) não gostou das declarações do Papa Bento XVI. O pontífice da Igreja Católica disse que o casamento gay é uma ameaça e coloca em xeque "o próprio futuro da humanidade". 

Nazismo e pedofilia
Indignado, Wyllys abriu fogo contra Bento XVI e relembrou as máculas do pontífice. "O papa suspeito e acusado de ser simpático ao nazismo disse que o casamento civil igualitário é uma ameaça à humanidade. Ameaça ao futuro da humanidade são o fascismo, as guerras religiosas, a pedofilia e os abusos sexuais praticados por membros da Igreja e acobertados por ele mesmo", atacou o parlamentar. 

Genocida
O deputado foi ainda mais longe e chegou a classificar Bento XVI como "genocida em potencial". "Espero que os estados laicos do Ocidente não cedam à pressão desse genocida em potencial"

Fonte: Jornal do Brasil.

***

Ui! Parece que o deputado - que é simpatizante de Che Guevara, esse sim um criminoso de fato - subiu nas tamancas.
Nobre deputado, precisamos ser mais tolerantes com a opinião alheia! Precisamos parar de viver nesse mundo medieval onde a ideia de alguns poucos - os homossexuais não correspondem nem a 10% da população brasileira - é imposta tiranicamente sobre toda uma sociedade. Precisamos superar essa mentalidade oligárquica da opinião. Democracia, deputado!
E não falte com a verdade, por favor! Diga, no mesmo plenário onde caluniou o pontífice, que os casos de pedofilia no clero são uma minoria quando comparados com casos de pedofilia entre membros da própria família. Afirme, pois é verdade, que mais de 90% dos casos de abusos sexuais envolvendo padres católicos, envolviam padres católicos homossexuais. Sim, nobre deputado, faltou essa parcela da informação. Os mesmos homossexuais que Vossa Excelência diz representar são responsáveis por 90% dos abusos (entre os clérigos que abusaram de crianças).
Vossa excelência, que pertence a um partido de esquerda, deveria ser coerente historicamente. Nenhum outro regime matou mais homossexuais que o regime vermelho que o senhor apóia! Rússia, China e Cuba - a de Castro e Che - mandaram tantos gays para o "paredon" que isso sim poderia ser classificado como genocídio.
O Papa apenas afirmou o que a ciência já constatou: dois machos ou duas fêmeas são incapazes de produzir vida. Discorda, excelência? Por favor, usemos de argumentos científicos e não aqueles baseados na fé - porque acreditar que dois homens/duas mulheres podem produzir vida é crer no impossível!
Mas creio que esse tipo de reação, enraivecida e irracional, é típica dos membros do socio-comunismo. Ainda sim, nobre e ilustríssimo deputado, não seja arauto de uma cultura de ódio. O senhor é melhor do que isso!
Postar um comentário