terça-feira, 19 de julho de 2011

Uma fortuna desperdiçada

Muitas pessoas procuram a qualquer custo obter dinheiro, fama, beleza, conhecimento, títulos, religião e seitas para encontrar a felicidade. Quando conseguem, elas percebem que não são felizes.
É próprio do ser humano procurar o “paraíso perfeito”. Dentro desse contexto têm que ser abissal o amor, a intimidade, a saúde, a riqueza, os amigos, a beleza, o saber e a felicidade sem fim.
Ninguém deseja a expulsão do jardim do Éden, os males da caixa de Pandora e as tragédias do teatro grego. Só queremos as Mil e uma Noites…

O renomado escritor francês Anatole France escreveu: “os sistemas construídos pelos sábios são contos para divertir a eterna meninice do homem… Seguindo o exemplo dos gregos, eu gosto de contos e encontro prazer no que os poetas e filósofos compõem”. Disse mais: “A ignorância é condição para a humana felicidade, e temos de admitir que em muitos homens ela realiza perfeitamente essa felicidade”.
A ilusão faz parte também da vida em busca da felicidade.
Queiramos ou não, somos artistas das tragédias do teatro grego.

DOR E SOFRIMENTO
Sabemos que é do sofrimento que nasce a sabedoria. Os gregos já diziam que “sofrimento é escola”.
O sábio aprende com a dor, derrota e sofrimento. O tolo se revolta e cava a sua própria sepultura.
Dante Alighieri disse com categoria: “Quem conhece a dor conhece tudo”.
Os antigos diziam: “Conhecimento é virtude”; o moderno diz: “Conhecimento é poder”.
A dor e o sofrimento transmutam conhecimento para felicidade.
O contratempo, as agruras, perdas, humilhações e traições, acontecem em nossas vidas para nos atrasar, perturbar e fazer com que perdemos o foco da verdadeira felicidade. Não podemos estacionar a nossa determinação.
Vejamos o que disse o insigne criador da Logoterapia - terapia do sentido da vida - Viktor E. Frankl, neurologista e sobrevivente do holocausto: “o mais importante caminho é, porém, mesmo uma vítima sem recursos, numa situação sem esperança, enfrentando o destino que não pode mudar, pode erguer-se acima de si mesma, crescer para além de si mesma e, assim mudar-se a si mesma. Pode transformar a tragédia pessoal em triunfo”.
O SENTIDO REAL DA VIDA
O ex-presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter disse: “Descobrimos que possuir coisas e consumir coisas não satisfaz nossa ânsia de um significado… Acumular bens materiais não pode preencher o vazio de vidas, destituídas de confiança e propósito”.
“Estudos psicológicos mostram que, quando se atinge uma faixa socioeconômica na qual se tem casa para morar e dinheiro para atender às necessidades básicas, pagar as contas e os pequenos prazeres da vida, o aumento da renda não tem relevância para o aumento da felicidade”, afirma Alan Wallace, físico americano, estudioso da ciência da felicidade.
Nada de material pode fazer o coração humano de sólida e duradoura felicidade. Toda ideologia humana em busca da felicidade é tresandar.
A felicidade concreta é construída com fundamento, confiança e propósito numa pessoa que é a própria felicidade e eterna.
O célebre escritor irlandês C.S. Lewis disse: “Tudo o que não é eterno é eternamente inútil”.
“Somente Cristo pode saciar os profundos desejos do coração humano”, declarou o Papa Bento XVI.
O Mestre de Nazaré e do Universo, o Emanuel convida:
“Vinde a mim todos os cansados e encontrareis descanso para vossas almas” (Mt 11, 28-30).
“Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai a não ser por mim” (Jo 14,6).
“Permanecei em mim, porque sem mim, nada podeis fazer” (Jo 15,4.5).
“Toda a autoridade sobre o céu e sobre a terra me foi entregue. E eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos!” (Mt 28,18-20).
Entendemos que a verdadeira e a eterna felicidade está na pessoa gloriosa de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
Ele está sempre conosco e nos ensinando o sentido real da nossa vida. O seu ensino é o fundamento que dá significado para o nosso ser material e espiritual.
Cristo é o mestre e o amigo que nos carrega para ciência do saber da vida como ela é e como ela vai ser além túmulo.
Cristo é a revelação de tudo o que precisamos compreender sobre o real sentido da existência humana.
CONCLUSÃO
Somente a felicidade em Jesus Cristo é a ferramenta para mudar esse mundo cheio de dores e crueldades.
Quem pode dizer ao ser humano o que lhe reserva o seu destino? Quem deseja o destino glorioso só pode ser de fato em Cristo!
O verdadeiro conhecimento para nossas realizações se encontra naquele que disse: “Eu sou a luz do mundo, quem me segue jamais andará em trevas” (Jo 8,12), e nos seus ensinos: “Buscai, em primeiro lugar, o reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas” (Mt 6,33).
A nossa razão e a fé, iluminada por essa ‘Luz Maior’, entendemos porque nascemos, vivemos e sabemos para onde vamos.
É essa ‘Luz’ que ilumina a nossa travessia tão dura da vida com todos os seus males (Mt 6,34). É ela que nos garante o caminho iluminado na passagem dessa vida para a outra vida, que não terá mais dores e sofrimentos.
Vale apenas se fundamentar, nos ensinos da ‘Luz Eterna’.
Viva em Cristo e serás feliz para sempre!

Pe. Inácio José do Vale, Professor de História da Igreja
Faculdade de Teologia de Volta Redonda
Postar um comentário