sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Você é assexuado?



Dizemos não ao sexo desordenado, à ideologia do gênero e também a esta falsa abstinência sexual! E assim queremos dizer sim ao projeto de Jesus Cristo para cada um de nós.
Há algum tempo, se você colocasse em qualquer site de pesquisa da Internet a palavra assexuado o que se apresentaria eram animais unicelulares, algumas bactérias, plantas, etc. Experimente colocar a palavra citada no Google hoje. O que aparece? Assexuados, na pós-modernidade, são homens e mulheres que, segundo o que se lê, não dão a menor importância, não se sentem atraídos e não têm qualquer tipo de relação que seja de cunho sexual. Geralmente, essas pessoas (como a maior parte do mundo) confundem a sexualidade com a genitalidade, ou seja, acham que a única forma de exercerem sua sexualidade é através do ato sexual.
Mas os problemas não param por aí. Um "assexuado" não se define como heterossexual, bissexual ou homossexual. É como se a "assexualidade" fosse uma espécie de quarta orientação sexual. Muitos deles sentem "nojo por sexo", acham que isso não é importante. São até capazes de se apaixonar, casar e ter filhos, contanto que nisso tudo não haja sexo envolvido! Alguns praticam atos de masturbação, mas não associam essa prática ao sexo.
Algum cristão desavisado pode achar isso fantástico: "eles estão vivendo a castidade!". Mas logicamente, isso é um absurdo! Em primeiro lugar porque um assexuado entende a sexualidade como mero exercício da genitalidade, ou seja, fazer sexo. Além disso, comunga com o pensamento mundano, onde ser homem ou mulher, gay, lésbica, “tico-tico no fubá” ou não fazer sexo é tudo a mesma coisa, "uma questão de opção" e nada mais que isso.
Inversão de Valores
Quanta inversão de valores! O mundo consegue deturpar até o que parece bom! Um jovem cristão luta para viver a castidade por acreditar que essa virtude o conduzirá a um caminho de ordenação da sua sexualidade. Sabe que o ato sexual é algo desejado por Deus e deve unir o homem à mulher no sacramento do matrimônio para toda a vida. Compreende a sexualidade como uma força vital que acompanha todo o seu ser e está expressa na sua forma de falar, vestir-se, relacionar-se, pensar, etc. Sabe que o sexo é um presente dado por Deus para unir o casal (homem e mulher) e gerar novos filhos de Deus.
Viver a castidade nesse mundo relativista é um ato de heroísmo a que todos os jovens são chamados. E ao vivermos isso, podemos expressar para o mundo que somos sim, homens e mulheres sexuados, desejamos e vivemos nossa sexualidade intensamente, mas não da forma desordenada e deformada que o mundo nos propõe. Queremos e vamos nadar contra a maré imposta de forma ditatorial pela mídia, que quer a todo custo nos convencer de que somos como os animais ou até como as bactérias! Dizemos não ao sexo desordenado, à ideologia do gênero e também a esta falsa abstinência sexual! E assim queremos dizer sim ao projeto de Jesus Cristo para cada um de nós, na busca do estado de vida que Deus no chama a viver e no livre e casto exercício da sexualidade! 
Comunidade Shalom
Postar um comentário