sábado, 13 de novembro de 2010

Configuramo-nos a Cristo por sua Palavra

Na mensagem final da XII Assembleia Geral ordinária do sínodo dos Bispos, há um
forte clamor para que a voz da Palavra de Deus ecoe no mundo moderno, de modo
que ela esteja presente em todos os lares e famílias, e nos âmbitos escolares, sociais,
culturais, econômicos. A Palavra de Deus é a resposta para as necessidades do homem
e para o mundo de hoje, com suas realidades e desafios peculiares e particulares. A
Palavra de Deus tem um rosto real em Jesus Cristo e apresenta a face verdadeira da
humanidade e do Reino de Deus, pois Ele mesmo é o Reino feito pessoa e personifica
a presença desse Reino divino quando entra na realidade humana. Diante de uma
humanidade tantas vezes desfigurada, a Palavra feita rosto divino é capaz de moldar
esse rosto humano segundo o projeto e desejo de Deus para ele: a santidade, o céu, a
eternidade, a felicidade plena.

Na Palavra de Deus o rosto do eterno se torna conhecido, desvendado para nós, e nesse
rosto humano e divino de Cristo feito palavra encarnada conhecemos plenamente o
projeto divino para a nossa humanidade. É o Espírito Santo que desenha em nós o rosto
divino de Jesus, deixar-se moldar por esse divino artífice é uma grande sabedoria. Mas,
esse mesmo Espírito que molda em nós o rosto do Mestre, coloca em nossas mãos o
lápis de Deus, e nos transforma em sua escrita para este mundo de hoje. Como nos dizia
São Paulo, a Palavra de Deus gravada em nossos corações nos transforma em cartas do
Espírito Santo para a humanidade de hoje, profecias de carne e osso em meio ao mundo
(2Cor 3,2-3).

A Palavra de Deus é viva e eficaz (Hb 4,12), porque é pessoa divina em ato, em ação
hoje e até a plenitude do tempo, nos dizem os padres sinodais, que Ela deve caminhar
livre pelas estradas do mundo de hoje, por todas as suas realidades, dores, dúvidas,
desafios, e ser a resposta para todas as realidades humanas que precisam de uma
resposta qualificada firmada na verdade eterna. A Palavra de Deus penetra no homem e
no mundo com o poder do Logos de Deus, seu poder criador, renovador e restaurador,
por isso, nada pode resistir a Sua Verdade. Ela é sempre atual, sempre presente, sempre
pronta a dar o sentido às respostas e questionamentos humanos, dar ao coração humano
o sentido de vida.

É certo que a palavra de Deus ao penetrar em nossa humanidade, nos atrai para o
centro do mistério de Cristo, e nos convida ao encontro pessoal com Ele e ao caminho
do discipulado. Caminhar com Cristo, é antes de segui-lo em seus atos, deixar-se
configurar aos seus pensamentos, mentalidades e sentimentos. O discípulo de Cristo
deve, neste mundo, neste tempo, tornar visível a presença do ser de Jesus, de modo que
as pessoas possam tocar por meio de nossas vidas humanas no mistério do amor divino
e com ele se encontrarem de maneira concreta e definitiva.

O Documento do Encontro do Celam (Conferência Episcopal da América Latina e do
Caribe) em Aparecida, 2007, nos coloca muito bem essa presença divina que manifesta

ao mundo que ali está um discípulo de Cristo: Jesus saiu ao encontro das pessoas em
situações muito diferentes: homens e mulheres, pobres e ricos, judeus e estrangeiros,
justos e pecadores (...) convidando-os para segui-lo. Hoje, segue convidando a
encontrar nele o amor do Pai. Por isto mesmo, o discípulo missionário há de ser um
homem ou uma mulher que torna visível o amor misericordioso do Pai, especialmente
aos pobres e pecadores (DAp 147).

A Constituição Dogmática Lumen Gentium sobre a Igreja assinala: Todos os membros
da Igreja se conforme com ELE, até que Cristo seja formado neles (cf. Gl 4,19). Por
isso, somos inseridos nos mistérios da vida, com ele configurados, com ele mortos
e com ele ressuscitados, até que com ele reinemos (cf. Fl 3,21; 2Tm 2,11; Ef 2,6;
Cl 2,12). Peregrinando ainda na terra, assosciamo-nos às suas dores como o corpo à
Cabeça, para que, padecendo com ele, sejamos com ele também glorificados (cf. Rm
8,17).

Maira Silvia Duarte Peixoto
Missionária da comunidade de aliança Shalom
Postar um comentário