sábado, 11 de agosto de 2012

A oração abre a porta da nossa vida a Deus, lembra o Papa

Assim como fazia quando era padre, arcebispo e cardeal, em agosto o Papa Bento XVI, nas audiências gerais, apresenta a figura do santo do dia e o faz ressaltando o aspecto da própria vida de oração pessoal e da relação com Deus.

No pátio do Palácio de Castel Gandolfo, na presença de 1,5 mil fiéis, Bento XVI falou sobre São Domingos de Gusmão, fundador da Ordem dos Frades Pregadores, os padres dominicanos.

"São Domingos foi um homem de oração. Apaixonado por Deus, não teve outra aspiração além da salvação das almas, em particular daquelas que caíram nas redes da heresia de seu tempo". A oração foi para ele "a força que renovou e tornou cada vez mais fecundas as suas obras apostólicas", observou o Santo Padre.

Uma característica da vida de São Domingos, salientada pelo Papa como exemplo para nós hoje, foi sua capacidade de "integração harmoniosa entre contemplação dos mistérios divinos e atividade apostólica" que o levou à profunda comunhão com Deus.

São Domingos não deixou nenhum escrito sobre a oração, mas o seu modo de rezar foi composto por um frade dominicano nas "Nove maneiras de rezar de São Domingos". Sempre diante de Jesus Crucificado, de joelhos, em gesto de humildade e penitência, demonstrava "um comportamento corporal e espiritual que, intimamente compenetrados, favorecem o recolhimento e o fervor". Ele rezava sem limites de tempo, mesmo depois da recitação da Liturgia das Horas e depois da Missa.

Sobre o exemplo do Santo, o Papa ressaltou "a importância dos comportamentos exteriores na nossa oração": o ajoelhar-se, o estar em pé diante do Senhor, o fixar o olhar no Crucifixo, o parar e se recolher em silêncio que "não são secundários, mas nos ajudam a nos colocar interiormente, com toda a nossa pessoa, em relação com Deus".

Bento XVI convidou os fiéis a darem testemunho "em família, no trabalho, no empenho social, e também nos momentos de distensão, está a oração". Na saudação em espanhol o Papa acrescentou que "na relação constante com o Senhor recebe-se a força para viver intensamente cada momento, e afrontar inclusive as maiores dificuldades".

Na saudação feita em português, o Sumo Pontífice acrescentou que "a oração abre a porta da nossa vida a Deus; e nela Deus ensina-nos a sair de nós mesmos para ir ao encontro dos outros, envolvendo a todos na luminosa presença de Deus que nos habita".

Ao fim da catequese, o Santo Padre convidou os fiéis a "encontrar diariamente momentos para rezar com tranquilidade; será um modo também para ajudar quem está próximo a entrar no raio luminoso da presença de Deus, que traz a paz e o amor que todos nós precisamos".
Fonte: Gaudium Press
Postar um comentário