quarta-feira, 28 de março de 2012

Aquele que É

Deus é Verdade, Vida, Amor...
Creio em Deus, dizemos. Iahweh, "Aquele que é", revelou-se ao povo de Israel como a Verdade e o Amor.


Deus é a Verdade. Diz o Livro de Samuel: "Sim, Senhor Deus, és tu que és Deus, tuas palavras são verdade" (2 Sm 7,28). Porque Deus é a Verdade, não engana e suas promessas sempre se realizam.
A Revelação, o que Deus nos ensina, é "uma doutrina de verdade" (Ml 2,6), como diz o Livro de Malaquias. E o Filho de Deus, Jesus Cristo, veio ao mundo "para dar testemunho da verdade" (Jo 18,37). Seu Reino não é o reino da mentira, mas da verdade. Onde há a verdade, aí está o Reino de Cristo.

Deus é amor, é "rico em amor e em fidelidade" (Ex 34,6), diz o livro do Êxodo. Em tudo o que faz Deus mostra sua benevolência, sua bondade, seu amor e sua fidelidade. A história de Israel, o povo de Deus, é a história gratuidade do amor de Deus. Os profetas de Israel proclamaram que por amor Deus não deixou jamais de salvar seu povo (Is 43, 1-17) e de perdoar sua infidelidade e seus pecados (Os 2). Oséias compara o amor de Deus por Israel ao amor de um pai por seu filho (Os 11,1). E Isaías afirma que Deus ama seu povo mais que um esposo ama sua bem-amada( Is 62, 4-5).

Este amor de Deus chegou ao extremo de enviar seu Filho à terra e de querer que desse sua vida na cruz para a salvação não só de um povo, mas de todos os povos. Diz São João: "Deus amou tanto o mundo, que entregou seu Filho Único" (Jo 3,16).
Isaías canta a perenidade do amor de Deus: "Os montes podem mudar de lugar e as colinas podem abalar-se, mas o meu amor não mudará" (Is 54,10). E nas palavras de Jeremias: "Eu te amei com um amor eterno, por isso conservei por ti o amor" (Jr 31,3).

A mais bela e profunda revelação do Novo Testamento é que "Deus é amor" (1 Jo 4,8.16), como fala São João. Ele não só nos ama e faz tudo por amor, mas sua própria realidade, seu ser íntimo é ser amor. Deus é vida, mas sua vida é amor. O amor é a natureza de Deus, a sua essência.

Deus é exuberância da vida que é amor. É o amor do Pai ao Filho e do Filho ao Pai. E este amor mútuo, infinito e eterno é o Espírito Santo.

Porque cremos em um só Deus, devemos reconhecer sua grandeza e majestade e somente a ele devemos servir.
Devemos viver em ação de gra-ças, porque tudo o que somos e possuímos vem dele. Devemos respeitar as pessoas, porque todas são feitas "à imagem e à semelhança de Deus" (Gn 1,27). E devemos confiar nele em qualquer circunstância, como rezava Santa Teresa De Avila:
"Não te perturbes.
Nada te assuste, tudo passa. Deus não muda
A paciência tudo alcança. Quem a Deus tem
Nada lhe falta. Só Deus basta".

Dom José Freire Falcão


Postar um comentário