segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Alegria do advento, uma exigência do amor

A noite de Natal se aproxima e cresce em nosso coração a vigilante expectativa de receber o Menino Deus, pois neste rico tempo do advento, a Igreja nos toma pela mão e, à imagem de Maria Santíssima, exprime a sua maternidade levando-nos a experimentar a esperança jubilosa da vinda do Senhor, que a todos abraça no seu amor que salva e consola (Bento XVI, homilia de abertura do Advento 2010).
Estampados em fachadas de lojas, nos pára-brisas de ônibus, nos cartões e nos discursos de confraternização, os tradicionais desejos de “Boas Festas” marcam este período do ano. Mas, se de fato queremos tornar uma festa boa, precisamos tomar algumas atitudes importantes para não deixar de colher as graças próprias daquele dia. Precisamos pensá-la, decorá-la e prepará-la dignamente, precisamos nos comunicar e nos envolver com os convidados e investir nosso tempo para bem realizá-la. Em meio a todos os preparativos de uma boa festa, uma virtude chama a atenção de quem a organiza: a alegria da espera animada pela certeza do encontro.
A alegria é uma virtude marcante na vida dos que se abandonam nas mãos de Deus! Por isso, ao nos preparar a grandiosa festa do Natal, Deus anuncia uma grande alegria para todo povo (cf. Lc 2, 8), a alegria do encontro com o Amado (Mt 25,6). Alegria esta que não é uma mera opção reservada a poucos, mas é um mandato de Deus, uma exigência do amor que nos ordena: Alegrai-vos sempre no Senhor. Repito: alegrai-vos! (Fil 4,4).
Se queremos anunciar que Deus amou tanto o mundo que entregou seu Filho Único para que todos tenham vida eterna (Jo 3, 16), nada convence mais do que a alegria que trazemos no anúncio. Nada é mais eficaz na transmissão de uma mensagem que a alegria daqueles nos quais a mensagem já se transformou em vida e a esperança se tornou certeza! Amor e alegria não podem caminhar separados diante do maravilhoso anúncio que Nasceu-vos hoje um Salvador, que é Cristo Senhor (Lc 2, 11).
Foi a alegria dos Anjos a cantar Gloria a Deus no mais alto dos céus, que moveu o coração dos pastores e os fez caminhar apressados em direção a Belém, pois queriam ver o que de tão maravilhoso Deus havia realizado (cf. Lc 2, 14-16).
Portanto, há uma ordem dada por Deus aos que O amam e desejam colher as graças do Natal de Nosso Senhor: Alegrai-vos! Eu devolvo a alegria da tua salvação (Sl 50); Alegrai-vos porque este é o mais notável efeito do Amor; Alegrai-vos para que todos vejam em quem está vossa confiança; Alegrai-vos para mostrar ao mundo Aquele que senta-se à mesa com os pobres e pecadores e transforma toda refeição em Boas Festas; Alegrai-vos porque o pecado da tristeza não tem lugar na Noite Feliz; Alegrai-vos noite e dia, pois ao olhar para o Centro do Presépio vereis a bondade de nosso Senhor Jesus Cristo, que sendo rico, se fez pobre por vós, a fim de vos enriquecer por sua pobreza (II Cor 8, 9).

Renato Varges
Consagrado Comunidade de Aliança Shalom, RJ
Postar um comentário