sexta-feira, 10 de junho de 2011

TESTEMUNHO DA MICHELE

Recebi este email da Michele Candeira, ouvinte da rádio Beatitudes. Nele pude perceber mais uma vez a força do carisma Beatitudes na vida da minha amiga... Este carisma que tem tudo para ser "de todos nós": "Com Deus até o fim, mesmo sem entender". Boa leitura.
Silvinho Zabisky.
...............................................................
"Oi, Carol!!
Gostaria muito de dar um testemunho de algo que aconteceu comigo.
Certo dia estava no cinema, e comecei a sentir dor de cabeça e enjôo.
No dia seguinte a dor parecia que tava o dobro, e quase não conseguia me concentrar em nada, mas mesmo assim, fui trabalhar.

Resolvi sair mais cedo do trabalho e passar no hospital. Aquela dor não estava normal. Quando cheguei lá tinha quase 150 pessoas na minha frente, e vi que ia demorar muito e comecei a chorar de desespero. Achei que não seria capaz de aguentar até minha vez. A Ação de Deus começa aí: um rapaz que também aguardava, me deu uma senha com 80 números à frente, o que diminuiu meu tempo de espera. Finalmente, o médico me examinou e disse se tratar de uma enxaqueca, que era normal...mas nada da dor passar.

Assim passei toda aquela semana, com muita dor e sem dormir direito. Na sexta feira, com a dor pior ainda, resolvemor ir à outro hospital, onde constataram que eu sofrera um AVC Hemorrágico. A médica me deu esta notícia e me explicou que o caso requeria muitos cuidados médico, e que por isso, eu teria de ficar internada por 10 dias.

Confesso que não entendia como aquilo poderia estar acontecendo comigo, já que nunca fumei ou consumi bebidas alcoólicas e sempre fiz muita atividade física. Foi um momento de muita reflexão...dois dias depois comecei a ter muita dificuldade de respirar, quando foi constatado um novo problema: meu caso evoluíra para embolia pulmonar, e isso era caso de UTI. Senti muita tristeza, e cheguei a achar que Deus me castigava por alguma coisa que eu tinha feito ou deixado de fazer. Chorei tanto...Os médicos não costumam ser gentis, e me receberam com muita frieza, o que me deixou muito mais preocupada. Entendi que meu caso era muito grave mesmo.

Naquela noite, me deixaram num leito bem afastado, no escuro e sozinha, e mais uma vez chorei muito....pedi perdão, mas sempre repetia a frase "Jesus eu confio em vós". Muitas outras vezes eu repetia "Com Deus até o fim, mesmo sem entender". Fiz uma bateria de exames, e ninguém foi capaz de descobrir o que estava acontecendo comigo, o que causara tudo isso. Fiquei 8 dias na UTI, sendo muito medicada e realizando exames praticamente de hora em hora...e nada.

Meu quadro foi melhorando cada vez mais, e com ajuda de vários funcionários do hospital, consegui pensar com fé, que logo eu sairia de lá.
Nesta experiência que passei, eu tinha a sensação que estava sozinha, mas aquela história das pegadas se encaixa bem neste caso...Deus sempre me levava no colo, me protegendo. No dia que recebi alta (já 12 dias de internação), o médico me explicou que era quase um milagre eu ter saído sem sequela alguma...nestes casos, a pessoa pode ficar cega, ter um lado do corpo paralisado ou mesmo morrer...Deus foi muito generoso e não tive sequela alguma.

Além disso, Ele também deu muitas forças à minha mãe, que praticamente se internou no hospital junto comigo, sem enfraquecer, e sempre me incentivando.
Hoje estou em casa, ainda em recuperação, um pouco fraca, mas agradecendo a cada minuto de respiração que Deus permite que eu tenha.

Antes de tudo acontecer, eu tinha milhares de planos, mas hoje vejo que não dá para agendar as coisas assim...Deus é quem decide por nós.
Queria muito te contar esta história de vida, porque ainda na UTI, eu lembrava dos terços que quando dava eu acompanhava pela rádio...e como chorava. Acredito que era libertação de algum mal...

Muito obrigada pela evangelização que vocês fazem....na hora do desespero, eu repeti muitas vezes COM DEUS ATÉ O FIM, MESMO SEM ENTENDER.

Um abraço a todos.

Michele - Brasília/DF"
Postar um comentário