segunda-feira, 25 de abril de 2011

Um só Deus com o Pai, um só Homem com o homem

Afirma Santo Agostinho: “Deus não poderia conceder dom maior aos homens do que dar-lhes como Cabeça a sua Palavra, pela qual criou todas as coisas, e a ela uni-los como membros para que o Filho de Deus fosse também filho do homem, um só Deus com o Pai, um só homem com os homens. Por conseguinte, quando dirigimos a Deus nossas súplicas, não separemos dele o Filho; e, quando o Corpo do Filho orar, não separe de si sua Cabeça. Deste modo, o único salvador de seu corpo, nosso Senhor Jesus Cristo, é o mesmo que ora por nós, ora em nós e recebe a nossa oração.
Ele ora por nós como nosso sacerdote; ora em nós como nossa cabeça e recebe nossa oração como nosso Deus. Reconheçamos nele a nossa voz, e em nós a sua voz” (Comentário sobre os Salmos, Sl 85,1).
Quando me ponho a matutar por que, afinal, temos tanta dificuldade de perceber essa união nossa com Jesus e Dele conosco, só me vem uma resposta: falta de oração, falta de vida interior, falta de ‘atenção ao interior’.
Na correria de nossas vidas, traçamos planos e itinerários para tudo: o melhor caminho a tomar, a estrada melhor e mais curta, o melhor local para reabastecer. Usamos o GPS para nos indicar caminhos e nos informar se estamos ou não no rumo do nosso alvo. Contudo, frequentemente nos esquecemos de traçar planos e sendas para nossa vida espiritual.
Deixamos de cumprir nossos horários de oração e nossa vida interior se resume às apressadas preces do acordar e dormir. Rezamos o terço enquanto fazemos outra coisa, considerando, com certa razão, que é melhor que nada. Eucaristia durante a semana? Bem, se tiver uma missa de 7º dia, de casamento, de bodas, pode ser que eu vá.
Enquanto prosseguimos em nossa negligência, Jesus Cristo, ora por nós como sacerdote; ora em nós como nossa cabeça e esposo; recebe nossa oração como nosso Deus. Nossa voz é sua voz, sua voz é nossa voz.
Veja: o caminho de Deus para nós é sempre cumprido. Jesus ora por nós e em nós constantemente, quer oremos ou não. O que falta, infelizmente, é o caminho contrário: partindo de nós para aquele que recebe nossa oração como nosso Deus.
Certa feita, a inscrição da parte central da basílica de São Pedro mudou minha vida, como se eu jamais a tivesse visto antes: “Pedro, Satanás pediu para joeirar-te como o trigo, eu porém orei por ti, para que não desfalecesses na tua fé.” Foi como se um raio me atingisse e eu pudesse perceber que Jesus, de fato, intercede por mim, pessoalmente. O mesmo acontece com você. Jesus, o Senhor, o Filho de Deus, o Esposo, ora em você e por você.
Tudo o que você tem que fazer é: primeiro, ler e rezar com a Palavra para que ela seja seu “GPS” na vida espiritual. A Palavra, como vimos em Santo Agostinho, é o próprio Cristo. Ela nos conduzirá segundo a sua vontade. Junto a isso, prestar atenção ao seu interior, ao que Deus diz e faz em seu interior. Ao escutar, com atenção, o que Jesus diz em seu interior, responder-lhe, com simplicidade, com suas próprias palavras sem ostentação, nem que seja somente para dizer o que mais agrada ao Senhor: “Jesus, eu te amo!”

Maria Emmir Nogueira, Co-fundadora da Comunidade Shalom
Comunidade Shalom
Postar um comentário