quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Só Deus é Bom!



O jovem do Evangelho fizera uma pergunta que podia ser colocada, na linguagem do nosso tempo, deste modo: "Como comportar-me para que a minha vida tenha sentido e valor? A resposta não pode ser apressada nem superficial, porque diz respeito à vida toda, à totalidade da existência humana. Chamado de "bom mestre", Cristo apresenta que sua bondade dá testemunho de Deus, que é o Bem Supremo. É este o ponto central de toda a resposta ao jovem rico e das respostas para todas as indagações fundamentais sobre o valor e o sentido da vida. Cristo começa impondo referirmos tudo a Deus, de quem cada um é imagem e semelhança. Assim, nenhum ser humano pode compreender a si mesmo, nem realizar-se, sem ter Deus como centro de sua vida.

1. NOSSA ALEGRIA É DEUS
No Evangelho, Cristo começa sua resposta declarando que só Deus é bom. Somente em Deus todos os valores têm sua fonte primeira e seu complemento final. Ele é o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim (Veja Ap 21,6). Só nele os valores humanos podem ser confirmados como autênticos ou não. Em Deus se encontram todas as riquezas. Ele é a formosura que excede a todas formosuras. Nele encontramos tudo aquilo que ansiamos e que tantas vezes buscamos em coisas, pessoas, lugares que não podem nos dar, porque não tem. Precisamos descobrir a santidade, a bondade, a misericórdia de Deus. Precisamos compreender que Ele nunca nos destrói, mas nos eleva respeitando as nossas características pessoais. Precisamos compreender que Deus não é nosso inimigo, aquele que está sempre nos tolhendo de fazer as coisas que queremos. Muitas vezes o colocamos fora da nossa existência porque Ele parece para nós uma ameaça. Deus não é aquele que vem tirar a nossa alegria, o nosso prazer, que joga água fria em nossas vidas, ao contrário é Deus quem tempera as nossas vidas dando a elas um sabor delicioso, porque é um sabor autêntico. Nós perdemos a graça de desfrutar da amizade de Deus porque escolhemos outras amizades para nós. Só Deus é bom, de modo que o valor fundamental da sua vida está depositado em qualquer ser humano, seja ele sadio ou doente, esteja ele enfrentando qualquer tipo de problema. Deus habita nele, e o fez de modo único, irrepetível, como imagem e semelhança dele. Em Deus está a plenitude da bondade. Só ele é a fonte da felicidade perfeita do homem.

Precisamos descobrir um profundo fascínio por Deus, aliás, este fascínio já existe dentro do nosso coração, então, basta que o deixemos aflorar como aflorou no coração da Amada do Cântico dos cânticos. Precisamos descobrir a bondade de Deus e desfrutar dela em nossas vidas, nos deixar impregnar desta bondade. Muitos sofrem porque nunca experimentaram o amor de Deus, nunca se sentiram amados por ele, por isto seus semblantes são sombrios, são sem brilho, são sem cor. Nós precisamos descobrir a força do amor de Deus em nossas vidas. Esta força é verdadeira, este amor nos faz alcançar o céu e a terra inteira, nos faz ser mais belos, mais fortes, diferentes. Nós não podemos ter vida verdadeira se não experimentarmos e confiarmos que Deus nos ama, mesmo sendo os maiores pecadores.

Sempre nos falaram das coisas que nós tínhamos que oferecer para Deus, mas nunca nos disseram que antes Deus tem muito a nos oferecer, que antes, muito antes de nós o amarmos ele já nos amou. Sempre foi falado para nós das renúncias, das mortificações que tínhamos que fazer, mas nunca nos disseram que antes Deus perdeu a vida dele por nós, que sacrificou a vida dele por nós, que morreu numa cruz por nós. O Evangelho é o anuncio de que nós estamos "debaixo da graça" de Deus. Nós precisamos ter ânimo novo em relação às nossas vidas, uma esperança nova, um sentimento novo, porque Deus nos ama e isto é maravilhoso. O amor de Deus nos persegue, nos procura, vem ao nosso encontro desde sempre, nos envolve como num abraço cheio de ternura e amor. Esta é a grande novidade que Jesus veio trazer para nós: DEUS NOS AMA! Nada deve perturbar o nosso coração e afastá-lo desta certeza, nem mesmo os nossos pecados e fraquezas, "que Deus nos ama e nos oferece, hoje mesmo, a sua paz e a sua graça como frutos deste amor" ( Cantalamessa). Nós só poderemos derreter o gelo do nosso coração, dobrar a dureza da nossa cabeça de ferro se antes aquecê-los com o fogo do amor de Deus. Aí então, suportaremos tudo porque "tudo se pode suportar quando nos sentimos verdadeiramente amados"( R.Cantalamessa ).

O mais importante, " não é pois que o homem ame a Deus, mas que Deus ame o homem e o ame por primeiro: Nisto consiste o amor: não fomos nós que amamos a Deus, mas é ele que nos amou. Precisamos inverter as posições, primeiro vem a "graça", depois vem o "mandamento". Tudo o que Deus faz por nós, tudo, é amor, mesmo quando passamos pelas provações, pelos sofrimentos, Deus nos ama. Jesus gritou para o mundo: "Deus vos ama" ( Jo 16, 27). A maior ação do demônio é nos levar a desconfiar do amor de Deus, é colocar dúvida sobre o amor de Deus por nós, da bondade de Deus. Por isto nunca podemos duvidar deste amor, mesmo nos momentos mais difíceis de nossas vidas, ao contrário, precisamos descobri-lo escondidos nas dobras do sofrimento, da decepção, das fadigas, das lutas e dizer num ato de fé: "Senhor eu não te entendo, mas eu confio em ti, eu confio no teu amor por mim. Eu sei que tu és bondade e tu só queres o meu bem. Custa-te muito me ver sofrer, por isto tu só permites o sofrimento quando ele for o único caminho para que eu volte para ti. Agora, estou livre para te amar, porque confio no teu amor" ( Raniero Cantalamessa).

2. NOSSA META É DEUS
Se não colocamos os valores sob Sua luz, facilmente podemos confundir o mal com o bem. É isto que acontece hoje , onde Deus não é considerado nas apreciações dos modos de agir. Em Deus está o bem, mas no mundo insiste-se em buscá-lo fora de Deus, em nós mesmos, nos outros, nos bens, no sexo, nas drogas, nas "noitadas", no dinheiro... Jesus ao revelar que só Deus é bom, nos revela que se queremos alcançar o bem para as nossas vidas devemos dirigí-la em tudo para Deus. Se compreendemos que em nós mesmos se encontra a fonte e o fundamento das nossas vidas devemos compreender que isto vem da presença de Deus em cada um de nós. Por isto ocorre que o homem, sem Deus, não pode compreender a si mesmo, e os seus caminhos não podem conduzí-lo para a autêntica realização. Jesus veio ao mundo justamente para nos tornar conscientes disso.

Enquanto na narrativas de Marcos 10 Jesus responde que só Deus é bom porque havia sido chamado de "bom mestre", de acordo com a narrativa de Mateus 19, 16-22, o jovem havia perguntado o que faria de bom para ter a vida eterna, ao que Jesus responde com outra pergunta: - "Por que me interrogas sobre o que é bom? Um só é bom..."(Mt 19,17) . Mas o sentido, a mensagem fundamental das narrativas é a mesma: porque tudo de bom provém de Deus. Interrogar sobre o que é bom e sobre o bem é sempre referir-se a deus, plenitude da bondade. "Aquilo que o homem é e deve fazer, manifesta-se no momento em que Deus se revela a Ele em através da pessoa de Jesus Cristo. O bem consiste em reconhecê-lo como finalidade de sua vida, e de fato, pertencer a Deus, obedecer-lhe, caminhar com Ele.

Os jovens precisam colocar a sua juventude sob a vontade de Deus, tudo o que ela encerra deve ser colocado à luz de Deus. Os jovens só serão jovens autênticos quando as suas vidas estiverem conforme a vontade de Deus. Os jovens têm grandes perspectivas de vida, muitas possibilidades, experimentam um grande vigor, uma grande força, sonham alto, tudo isto é próprio da juventude e isto é muito belo e uma grande riqueza para toda a humanidade, porém todas estas coisas devem ser canalizadas para Deus, devem ser vividas segundo a vontade de Deus, senão correrão o risco de utilizar esta força, este vigor, estas muitas possibilidades em coisas que só irão destruí-las. "De que adiantará o jovem ganhar o mundo inteiro se vier a perder sua alma? Será que quando Jesus voltar ele encontrará a fé na juventude? Será que ele encontrará a juventude conforme Seu Pai criou? Deus não quer destruir o vigor, a força, as possibilidades da juventude, porque foi ele mesmo que a criou com tudo isto, mas deseja que ela use tudo isto para o seu engrandecimento e o engrandecimento de toda a humanidade, para o seu bem que é a glória de Deus.

Deus deseja manifestar o seu amor também através de todas as características que possui a juventude. Deus deseja que o mundo conheça o vigor, a força do seu amor através do vigor e da força da juventude. Deus deseja manifestar o verdadeiro prazer, a verdadeira alegria criada por ele através da juventude. Será que ela está sendo canal autêntico de Deus para este mundo tão cheio de fraquezas e tristezas? Será que com a vida dos jovens de hoje o mundo está recebendo o amor de Deus? Será que através da vida do jovem de hoje o mundo está recebendo a paz de Deus? Porque os adultos esperam que os jovens sejam canais das graças de Deus para eles. Quantos jovens são instrumentos de Deus para os seus próprios pais. Quantos jovens são a força e o exemplo de esperança, de confiança de um mundo diferente para os seus próprios pais. Quantos jovens são a alegria, o incentivo para a vida de santidade de seus próprios pais. Os jovens possuem um "carisma" especial de Deus para o mundo, se eles não manifestarem este carisma o mundo não terá a possibilidade de recebê-lo porque só eles possuem. Os adultos tem um "carisma" para transbordar para o mundo, com certeza que sim, mas é o carisma próprio deles e não o dos jovens.

Assim a conduta do jovem, que está "implicada na gratuidade do amor de Deus, é chamada a refletir a sua glória: 'Para quem ama a Deus, basta-lhe agradar aquele que ama, uma vez que não se deve procurar qualquer outra recompensa maior do que o próprio amor; a caridade, de fato, provém de Deus de um modo tal que o próprio Deus é caridade (...) A afirmação de que um só é bom reconduz-nos assim à primeira tábua dos mandamentos, que convida a reconhecer Deus como Senhor único e absoluto e só a ele prestar culto, por causa da sua santidade infinita. O bem consiste em pertencer a Deus, obedecer-lhe, caminhar humildemente com ele, praticando a justiça e amando a piedade (...) O cumprimento da vontade de Deus é um dom, é uma graça que Deus derrama nos corações dos homens. Deus não só indica o caminho para a libertação do homem, que é o próprio Deus, mas vai além, dá-lhe juntamente a capacidade de seguir este caminho e isto foi concretizado em Jesus Cristo. Agora, depois da vinda de Jesus ao mundo, o jovem pode viver sua juventude totalmente segundo a vontade de Deus e ela não será nunca um peso para ele porque o Senhor lhe oferece as "suas asas", que é o próprio Espírito Santo, para que o carregue livremente.

por Escola de Formação Shalom *
Escola de Formação Shalom
Postar um comentário