quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Capítulo 1-O Movimento "New Age" e a Mística Panteísta da Criação.
Nesta parte do trabalho, começaremos a esboçar o que seja o Movimento intitulado, ou auto-intitulado, "Nova Era" (New Age). Suas características, entretanto, serão mais bem delineadas no próximo capítulo, quando analisarmos a Pós-modernidade.O que será aqui escrito é fruto de uma vasta pesquisa junto a várias organizações que se dizem explicitamente gnósticas e da leitura de diversos livros que tratam deste assunto.Um dos livros mais importantes, e que será citado várias vezes, é A Conspiração Aquariana, de Merilyn Ferguson, considerado um dos principais documentos sobre a "Nova Era".
Capítulo 1O Movimento "New Age"
O termo 'gnose' foi inicialmente utilizado, na tradição helenística, para designar o 'saber', o 'conhecimento', etc. Com o advento do Renascimento, a palavra 'gnose' tomou uma conotação mística e religiosa, misturando-se com a magia e com seitas esotéricas propugnadoras do panteísmo e do monismo. A doutrina de fundo de Giordano Bruno, assim como a do movimento "Nova Era", é a gnose.Pode-se também argumentar que o primeiro sentido da palavra 'gnose' (conhecimento), refere-se ao conhecimento da transcendência da verdade e, por efeito, da transcendência de Deus. O segundo sentido da palavra 'gnose', empregado pelos esotéricos, ao invés de se referir ao conhecimento da transcendência de Deus, refere-se à imanência: auto-conhecimento.Nesse sentido, é possível dizer que o significado do termo 'gnose' não se alterou, pois em ambos os casos ele se refere ao ato de conhecer. O que houve foi uma alteração no objeto a ser conhecido, não mais exterior ao homem, mas imanente à natureza.Só há duas possibilidades lógicas de se conceber Deus, ou se imagina um Deus transcendente e superior; ou se considera a Deus - ou a divindade - como um ser imanente e, por conseqüência, igual aos homens.O movimento 'Nova Era', na realidade, não passa de uma reedição das doutrinas que influenciaram a Renascença, tanto a defendida por Parmênides e por Heráclito, quanto a que os Estóicos propugnaram na sua concepção de que o fogo (divindade) se mistura em toda a matéria. Ao mesmo tempo, existe um caminhar seguro rumo a uma mística de origem oriental, budista e hinduísta.
O texto, transcrito em seguida, é de Pico della Mirandola, extraído do livro A Conspiração Aquariana:"Com liberdade de opção e com dignidade, como criador e modelador de si mesmo o homem pode assumir a forma que preferir. Terá a força para gerar nas formas inferiores de vida, que são irracionais. Terá a força partindo do julgamento da alma, para renascer em formas superiores".
No final do mesmo livro, escreve a autora (M. Ferguson):"O mundo novo é o antigo - transformado'Pierre Weil, em seu livro Nova Linguagem Holística - Um guia alfabético, define a Nova Era:"Movimento holístico de renovação dos valores fundamentais de nossa sociedade, através de uma mudança de paradigma.
Traduz-se a Nova Era por:
- Um aspecto ecológico, o respeito à harmonia da natureza.- Um retorno à simplicidade da existência.- Uma seleção criteriosa e consciente dos verdadeiros aspectos positivos do progresso técnico em relação a estes valores holísticos.- O desenvolvimento interior, através dos diferentes métodos de holopraxia [meditação que leva à iluminação].- O desenvolvimento de comunidades que apresentem as condições favoráveis a esta evolução e estimulem-na.- A não violência.- Uma Economia, Educação e Medicina Holística.- Uma política holística.
Em todos os países do mundo, encontramos pessoas e grupos chamados por Roger Garaudy de 'Mutantes', sujeitos a uma mudança profunda e radical de características Holocêntricas [perceber que formam parte do 'holos', de uma mesma realidade panteísta]; trata-se de uma metamorfose, de uma revolução silenciosa que se inscreve no ciclo evolução-involução do Cosmo, da Humanidade e dos seres humanos.".Esse movimento holístico culminaria com a chamada 'Era de Aquários', onde o ser humano perceberia a sua íntima união com o holos (todo), formando uma só realidade, uma só energia. Ou, em outras palavras, o homem perceberia a sua identidade com o 'pan', de onde todos vieram e para onde todos vão. Eis o homem do terceiro milênio, como defendem os adeptos da 'Nova Era', um ser evoluído e superior, que percebe a sua natureza divina. A 'Era de Aquários' surgiria com o fim da 'Era de Peixes', que segundo dizem, simboliza o Cristianismo.
A) Panteísmo, Monismo e Evolucionismo Reencarnacionista
A filosofia básica da Nova Era é o Monismo e o Panteísmo, de origem hinduísta e budista. Segundo essas doutrinas, existe apenas uma realidade, que é a energia cósmica, o resto é o "maya" (ilusão) (Monismo) Toda a diversidade de seres é uma ilusão dos sentidos, que tende a ver diferenças onde só existe igualdade. Tudo é uma manifestação de uma mesma energia cósmica. Energia esta que é divina e espalhada em todas as coisas (Panteísmo).Escreve Marilyn Ferguson sobre a imanência de Deus:"Todos os espíritos são um só. Cada um é uma centelha do espírito original, e este espírito é inerente a todos os espíritos. O budismo afirma que todos os seres humanos são Budas, mas nem todos despertam para sua verdadeira natureza. Ioga, literalmente, significa 'união'. A iluminação plena é um voto para salvar 'todos os seres sencientes'. (...)Uma vez que se tenha chegado à essência da experiência religiosa, perguntou Meister Eckhart, para que se necessitará da forma? 'Ninguém pode conhecer Deus antes de conhecer a si mesmo', disse Eckhart a seus seguidores medievais. 'Vá às profundezas do espírito, o lugar secreto ... às raízes, às alturas; tudo que Deus pode fazer está ali centrado."De forma resumida, podemos descrever o evolucionismo da Nova Era da seguinte forma: Do Absoluto (energia primeira que alguns chamam de Deus) emanaria uma faísca (mônada ) que chega na terra primeiro em estado mineral. Essa faísca seria a essência da vida, ou, em outras palavras, a própria vida, é a partícula divina espalhada em todas as coisas. Esta partícula como que 'vive' em forma de mineral.
Após a iluminação o homem poderia escolher entre voltar à energia pura, ir para outros planetas ou ficar aqui mesmo, na terra, em forma de 'Devas'. Devas são guias mestres, pessoas iluminadas que resolvem ficar para iluminar outras.
No livro A Conspiração Aquariana, afirma:"Não há santidade porque tudo é sagrado. O profano é sagrado. Todos são sábios à espera de uma oportunidade."
B) Auto-Conhecimento e Redenção
A Nova Era afirma que o problema do homem não é o pecado, como diziam a tradição medieval e as religiões transcendentalistas, mas, assim como os Renascentistas, a ignorância. Conhecer-se a si mesmo e desenvolver-se, eis o lema da Nova Era.Através do auto-conhecimento, feito através da meditação, o homem se "auto-salva", não precisa de um salvador. Cada um tem a chama divina dentro de si (como aliás diziam os estóicos), deve perceber essa divindade, descobrir-se, iluminar-se. Seu erro (pecado) refletirá não em um inferno, mas numa encarnação menos evoluída ou mais sofrida (Lei do Carma), onde aqui se faz, aqui se paga.O auto-conhecimento leva o homem à iluminação, percebendo a divindade imanente que existe dentro dele. Não é no exterior que se encontra a verdade, mas no interior de cada homem, ali reside a partícula divina, o microcosmo que é, ao mesmo tempo é parte e é todo. Segundo a gnose, a parte e o todo formam a mesma realidade, são ambas divinas e, por divinas, iguais.
C) Dualismo
Do dualismo platônico, em que existem dois mundos, um mundo das idéias e outro da matéria, onde o mundo espiritual, das idéias, é o bem e o mundo da matéria é o mal, a filosofia da Nova Era vai além, pois afirma que a matéria é uma ilusão.Todos devem pensar holisticamente, não há diferenciação, tudo forma uma só realidade (holos).Ainda segundo Pierre Weil, no seu Dicionário Holístico, encontramos a seguinte definição de Deus:"Uma projeção antropormófica [uma maneira ilusória de ver a Deus como se este fosse um espelho do homem, tendo a sua forma e características] popular e primitiva deformou seu sentido, dando ao Ser uma forma e características que constituem uma limitação; isto criou uma dualidade que discrimina e separa o Ser do 'ser humano'.
D) Meditação
Para chegar ao 'nirvana' ou à iluminação, o caminho mais usado é o da "Meditação Transcendental ", criada pelo guru Maharishi Mahesh Yogi. Segundo seus propulsores, essa técnica serve para levar o ser humano a parar de pensar da forma costumeira e, ainda que lentamente, começar a experimentar a realidade de uma outra forma.
Segundo Pierre Weil, em seu livro A Revolução Silenciosa, o que se busca, através da meditação.A meditação "Poderia ser definida como sendo um retorno a si. É o ser que realiza que é e nunca deixou de ser o Ser."
E) Cristais, Pirâmides e Canalização da Energia Cósmica
Não é pensando que se ilumina, é mediante a meditação por dentro de si, mediante a canalização da energia por dentro do próprio corpo. Para esse fim nos levariam o tarô, os búzios, quiromancia, astrologia, numerologia, cristais, medicina alternativa, acupuntura, homeopatia, etc.
Os cristais são muito usados, pois seriam uma maneira de canalizar as energias e as vibrações cósmicas. Serviriam para curar doenças, atrair prosperidade, levar à um grau de 'consciência superior', etc.Por exemplo, o templo da LBV em Brasília, que é uma construção piramidal, possui um cristal no seu centro geométrico (que serviria para atrair bons 'fluídos' para aqueles que recebessem a sua influência).As pirâmides, preceitua a norma, devem ter um dos lados voltados para o Norte/Sul, para produzirem melhores efeitos.As doenças seriam apenas manifestações de um desequilíbrio energético no homem, de energias estagnadas.
Segundo Pierre Weil:"O corpo e o espírito formam um conjunto com o meio e a doença é vista como resultado de uma falta de harmonia entre estes três fatores. A dor é um sinal de alarme desta falta de harmonia e o sofrimento provém da ignorância da inexistência de um eu separado de um mundo dito exterior, ou de um ser do Ser.[O médico] ... considera o doente como agente capaz de restabelecer seu próprio equilíbrio."
Postar um comentário