quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

A Salvação é um coração humilde que se entrega a Deus

Cidade do Vaticano (RV) - Deus salva “corações arrependidos”, enquanto quem não confia Nele atrai a condenação. Foi o que reiterou Francisco presidindo a Missa da manhã, na Casa Santa Marta. Eis a homilia do Papa, na manhã desta terça-feira, 16. 

A humildade salva o homem aos olhos de Deus, a soberba o perde. A chave está no coração. O do humilde é aberto, sabe se arrepender, aceitar uma correção; confia em Deus. O do soberbo é especular, o oposto: arrogante, fechado, não conhece vergonha, impermeável à voz de Deus. O trecho do Profeta Sofonias e o do Evangelho sugeriram ao Papa uma reflexão em paralelo. Ambos, observou, falam do “juízo” do qual dependem salvação e condenação. 

A humildade, único caminho

A situação é a de uma cidade rebelde, aonde existe um grupo que se arrepende de seus pecados: este, destacou o Papa, é o ‘povo de Deus’ que tem as três características da ‘humildade, pobreza e confiança no Senhor’. Mas na cidade há também aqueles que ‘não aceitaram a correção, não confiaram no Senhor’. Estes serão condenados: 

“Eles não podem receber a Salvação. São fechados à Salvação. Quando vemos o santo povo de Deus ser humilde, ter suas riquezas na fé no Senhor, estes são salvos e este é o caminho da Igreja! Deve percorrer este caminho, e não aquele que não escuta a voz, que não aceita a correção e não confia no Senhor”. 

Sinceramente arrependidos, não hipócritas

A cena do Evangelho é a do contraste entre os dois filhos convidados pelo pai a trabalhar na vinha. O primeiro se recusa, depois se arrepende e vai; o segundo diz sim ao pai, mas na verdade o engana. Jesus conta esta história aos chefes do povo, afirmando claramente que são eles que não quiseram escutar a voz de Deus por meio de João e que por isso, no Reino dos céus serão superados pelos publicanos e prostitutas. E seu escândalo, observou o Papa, é idêntico ao dos cristãos que se sentem ‘puros’ só porque vão à missa e comungam”. Deus – afirmou o Papa – precisa de outas coisas: 

“Se o seu coração não é um coração arrependido, se você não ouve o Senhor, não aceita a correção e não confia Nele, você tem um coração não arrependido. Mas esses hipócritas que se escandalizam disso que disse Jesus sobre os publicanos e as prostitutas, depois, em segredo iam até eles ou para desafogar suas paixões ou para fazer negócios - mas tudo em segredo - eram puros! E estes o Senhor não os quer ".

Oferecer até mesmo os pecados

Este julgamento, no entanto, continua o Papa Francisco, "nos dá esperança." Desde que, conclui, tenhamos a coragem de abrir nossos corações a Deus sem reservas, incluindo a "lista" dos próprios pecados. E para explicar isso, o Papa recorda a história do santo que "dava tudo ao Senhor", com extrema generosidade:

“Escutava o Senhor, andava sempre de acordo com a sua vontade, dava ao Senhor e o Senhor: 'Mas você não me dê uma coisa, ainda." E o pobre homem era tão bom, e disse: "Mas, Senhor, o que eu não lhe dei? Eu lhe dei a minha vida, trabalho pelos pobres, trabalho na catequese, trabalho aqui, trabalho lá ... '. "Mas você algo ainda não me deu '.-' O quê, Senhor?. 'Os seus pecados'. Quando vamos ser capazes de dizer ao Senhor: "Senhor, estes são os meus pecados - não são daquele, daquele outro, são meus ... Eles são meus. Toma-os e então eu serei salvo'- quando seremos capazes de fazer isso, vamos ser o belo povo, o povo humilde e pobre", que confia no nome do Senhor. O Senhor nos conceda esta graça".

(CM/SP)

Fonte: http://www.news.va/pt/news/a-salvacao-e-um-coracao-humilde-que-se-entrega-a-d
Postar um comentário