quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Advento: Ir Além de si mesmo

Sta. Teresa disse : "A exigência da amizade é a comunhão." E isso recordará cons-tante mente no seu magistério e "possa ajudá-lo a levar a cruz, participar da sua vida de crucificado." Teresa coloca suas irmãs diante da realidade mais substancial de suas vidas "Ou somos esposas de Cristo, de tão grande Rei, ou não. Se o somos; que mulher honrada haverá que não participe das desonras feitas a seu esposo? Pois ter parte no seu reino e dele gozar e nas desonras e trabalhos querer ficar sem uma parte é disparate, é loucura. Uma mesma sorte é a minha e a de Deus." Era essa a sorte dos apóstolos, como está lá descrita nos Atos dos apóstolos. A mesma entrega, o mesmo sacrifício, a mesma força, a mesma coisa, a mesma vida; não tinha como separar a vida dos apóstolos e a vida de Jesus, uma mesma sorte um mesmo caminho. A amizade assemelha. "Quando a oração (a vida) se tor-na difícil e a Cruz que é levada se torna desafiadora perante os nossos olhos a figura do Crucificado, do esposo, situará esta cruz na sua justa proporção e além disso, e sobre tudo dará rosto humano à cruz do amigo, à cruz da amizade, e assim a cruz não me dobrará mais sobre mim mesmo, lançar-me-á em um movimento de amor compassivo para ele o crucifi-cado." Ela diz: "Nós somos do bando do Crucificado, eu quero me chamar do bando do Crucificado e se somos do bando do crucificado por mais que façamos não nos há de faltar nesta vida desafios." Não precisa nem pedir porque ele vai mandar.

A comunhão com Cristo é a comunhão com o Crucificado isso que é paz, isso é que é amor: aniquilamento morte, esquecimento. Von Baltazar escreve: "Quando o pai se ofertou a Jesus, ele se ofertou de uma maneira tal, a oferta dele foi tão total, que Ele deixou de existir e que o Filho ao devolver isso para o Pai a oferta foi tão total, tão integral, tão radi-cal que o Filho deixou de existir e só existiu o Espirito Santo, o Espírito de Amor". Entre Eles a linguagem do Amor é a linguagem de rebaixar-se para me ofertar. Não tem como eu ofertar a vida se eu ainda fico com alguma coisa. Era isso que os apóstolos diziam no livro Atos dos apóstolos eles não tinham mais vida própria, a vida deles era de Deus. E por isso eram capazes de converter rainhas, reis, filósofos atenienses, pagãos, sumos sacerdotes, Capazes de levar todos a encontrar Jesus, a encontrar o menino. Por que eles já sabiam onde ele estava. "Somente aqueles que se deixam possuir por Jesus, diz o Moysés nas Re-gras, poderão proclamar a paz com todo poder, anunciar a Paz com todo poder, " Por que vão levar o homem à intimidade, à conversão, à submissão, à entrega a Deus.

Nós falamos tanto de moradas, nós queremos chegar na sétima morada, por que a sé-tima morada é o desposório, é a vida de união com Deus, eu ser todo de Deus e Deus todo meu. No caminho da paz nós chegaremos, se nós abraçarmos esse caminho da paz, não com aquilo que a gente imagina que ele é ,pois tudo faz parte desse caminho, para eu encontrar Deus, para eu saber onde está o menino. Pois bem quando Santa Teresa chega na sétima morada, depois que ela passa pelo estágio de abandonar o pecado, depois de curar feridas, depois de fazer a escolha por Deus, depois de ter a atenção a Jesus, a atenção que ouve a sua voz, que vê o seu olhar, sabe onde Ele está, a atenção amorosa, a atenção dada pelo Seu Espírito que não a deixa desviar para nenhum lugar, ai vem o tempo das purificações esse é o tempo que ela chama de pré esponsais onde ela vai morrer, onde o Senhor faz com que a alma morra inteiramente para si mesma e assim mesmo Ele ainda não se entrega a amada, ele não aparece, ele deixa ela morrer para que ela vá além dela mesma, além do amor, para que ela ame mais, para que ela se oferte mais. E aí acontece o matrimonio espiritual, onde santa Teresa se une inteiramente a Jesus e Jesus se une inteiramente a Santa Teresa. Onde ao olhar para Jesus ela se vê e Jesus ao olhar para ela também se vê. Pois bem quando ela chega, depois de um longo caminho, ela encontra o amado, ela encontra o Menino. Ele olha para ela e diz: "Então podemos armar uma tenda para nós dois, recebe a minha honra, tu és a minha esposa eu sou teu esposo, já não há comparação entre Mim e ti. Mas agora eu te confio a minha honra, recebe a minha honra." E o que é a honra de Deus? O que é receber a honra de Deus? A honra de Deus é salvar almas. Quem não evangeliza não se importa com a honra de Deus! Pior! Faz pouco caso dela! Deixa ela cair na lama! Por isso Santa Teresa diz para as irmãs que se nós não nos unirmos ao nosso amado para ajudá-lo na salvação das almas a gente não fez nada!

A oração me dá um tormento interior pela salvação das almas. Eu sinto esse tormen-to? A união com Deus me leva a ter um tormento pela salvação das almas. Por que é a hon-ra do nosso Deus. Não evangelizar é ser indiferente á honra de Deus. Se nós temos vergo-nha de evangelizar, se nós não nos comprometemos com o reino de Deus, se nós não temos um ministério, nem servimos em um projeto, se nós não saímos pelas ruas com um único desejo irresistível de evangelizar nós estamos indiferentes à honra de Deus, nós não nos importamos coma honra de Deus. Ele que cuidou da minha honra, que cuidou da sua honra, que elevou que lhe deu dignidade, lhe tornou esposa d´Ele agora precisa que você cuide da honra d´Ele. E nós não podemos ficar indiferentes.

De uma maneira especial no caminho da Paz. Na vocação Shalom, Nos grupo de oração Shalom, por que no carisma da Paz existe a missão da evangelização. O Moysés diz "nós não nascemos no pontificado de João Paulo II por acaso!" Nós nascemos no seu ponti-ficado por que é nos passos dele que nós vamos seguir. Há um mês atrás eu me espantei na Internet quando vi que ele pregou 45 minutos no parlamento italiano, não quis nem sentar, doente como ele está! Então um dos maiores mafiosos da Itália se converte e se entrega para pagar todos os seus crimes. Crimes que nós sabemos que mafiosos cometem! Não são bobagens: é genocídio, é assassinato, são vitimas inocentes. O mafioso se converte! Nós somos deste tempo meu irmão! Nós somos da geração daqueles que querem ver a face de Deus, daqueles que querem encontrar o menino! E hoje estamos vivendo um tempo de gra-ça! E ele diz : "As palavras do Papa me tocaram tão profundamente que eu não quero mais viver essa vida, e, eu quero pagar por tudo que eu fiz, por todos os crimes que eu cometi."

Por quê que as palavras do Papa tem tanto poder? Por que é um vida de união, por que é um vida ofertada, é uma vida de comunhão, por que é um vida que não pensa em si, por que é uma vida que vai aonde Jesus chamar, seja num estacionamento, seja onde for. É capaz de Dar toda a vida é capaz de dar trezentas carretas destas, isso aqui não é nada para quem encontrou a salvação! Nós não precisamos mais de nenhum motivo para evangelizar! Eu não preciso! Eu preciso consumir o resto da minha vida que ainda é pouco pela evangeliza-ção por que a experiência de salvação na minha vida foi algo esplendoroso, foi algo fan-tástico! Foi uma bomba atômica na minha vida! Há dezenove anos atrás em julho de 83, eu nunca mais vou esquecer desse mês e desse ano! A salvação que chegou na minha vida já é suficiente para eu sair pelo mundo levando a salvação. Por que não existe experiência me-lhor que ser salvo! Não existe experiência melhor que a experiência com Cristo! Então deve arder no meu coração o desejo de levar isto ao meu irmão. Minha alma deve ser atormenta-da pela evangelização! É da honra do meu Deus que eu estou cuidando! E quantos de nós ainda continuam sem ministério! E quantos de nós ainda continuam sem comprometimen-to! E quando temos um ministério, não é só abraçar, é como eu abraço este ministério. Eu dou a minha vida no ministério? Eu entrego a minha vida? Eu sou capaz de ir até as ultimas conseqüências? Ou eu só dou os pedaços dela? Ou tudo é difícil? Ou eu vivo sem querer ir? Ou a honra de Deus é um peso? Ou a honra de Deus é um jugo?

Foi isso que Santa Teresa recebeu quando ela se encontrou com o Senhor: A honra de Deus. E descobriu que a honra de Deus era salvar almas. Por isso ela diz: "Façamos tudo! Que a nossa vida seja entregue pela salvação de uma só alma." Não importa, mas que a gente dê a nossa vida! Da mesma forma que Sta. Teresa não ensina a rezar mas forma o orante, da mesma forma ela diz: eu não vou ensinar ninguém a evangelizar eu vou formar o evangelizador, o apostolo para que ele se una a Cristo para que ele se doe a Cristo, para que ele se oferte a Cristo, por que somente assim com uma palavra que ele disser com a oração dele, ele transformará a vida. Multidões acorrerão para cá; mas se nós já viemos para cá achando isso aqui muito chato, muito difícil, não queremos cantar, não temos fervor isso está mostrando o grau de intimidade, de amor, de desejo de me unir. Por que não é uma brincadeira! Eu desejo a Deus? Eu quero a Deus? Eu sou capaz de ficar em cima deste muro, em cima desta árvore para escutar a Deus? Ou para mim tudo é muito chato, tudo é uma obrigação, tudo é muito difícil...? Evangelizar, com poder, passa pela vida entregue a Deus, pela vida convertida a Deus, submetida a Deus como os apóstolos. E por isso aonde eles andavam, eles tinham fé em Deus, fé no evangelho, fé que Deus podia fazer a grande graça e por isso eles se entregavam! Eles não desconfiavam da palavra de Deus, de que Jesus era o filho de Deus, de que Jesus era o Messias, por isso eles se entregavam, não ti-nham meias medidas e o povo ia mesmo expor os seus doentes para os apóstolos por que sabia que ali estava a vida de Deus, a vida de Cristo e na vida de Cristo a ressurreição, a salvação, a cura, a transformação e por isso eles iam e eles queriam estar perto dos apósto-los. Por que a vida deles falava de Deus levava-os a encontrar o menino. É a honra de Deus. Foi isso que nos foi entregue!

O Moysés disse para nós coordenadores apostólicos do Brasil todo: "Não quer nin-guém de braços cruzados e de mão no queixo. Não quero ninguém detrás dos birôs por que no carisma Shalom o que o Senhor nos deu foi uma explosiva evangelização, foi uma pesca milagrosa." Não foi cinco peixinhos, não foi uma coisinha pequena! Não por que nós seja-mos os melhores mas exatamente por que nós somos os piores e por que somos os piores ficamos no nosso único lugar que é aos pés de Jesus bebendo da graça. Procurando o meni-no, encontrando o menino. Por que aí a nossa vida vai ser o caminho certo por onde todos encontram o menino. E a pesca vai ser milagrosa; se não está acontecendo isto aqui no Shalom o erro está em nós, não é em Jesus por que no carisma Shalom existe a graça de uma pesca milagrosa. E o Moysés em comunhão com João Paulo II, diz que nós somos uma comunidade para este mundo novo e não é sem razão. No ano 2000 foram derramadas muitas graças, graças que nós não vemos com nossos olhos mas que nós sabemos que fo-ram derramadas sobre a face da terra. Por que Jesus pisou nesta terra de novo. O Papa des-creve lindamente na sua carta apostólica os inúmeros peregrinos, todas as catedrais recebe-ram a graça de dar indulgência , lugares que não tinham catedrais as igrejas receberam a graça de dar indulgência, dar o perdão, a reconciliação, a submissão, a entrega, a obediên-cia, a vontade de Deus a união com Deus. E o Moysés dizia para os coordenadores apostó-licos e agora eu digo para toda a obra Shalom: "O homem de hoje já foi preparado pela graça de Deus, para você chegar perto dele e apenas dizer: Jesus te ama! E ele vai desmo-ronar." Por que muitos homens receberam pela graça da encarnação de Jesus Cristo a graça da reconciliação com Deus, da intimidade com Deus, da fé, basta que nós cheguemos lá com nossa vida ofertada a Deus e dizer para ele: Jesus te ama! E se nós não chegarmos: O que acontece com uma semente que não é cuidada? Ela morre e talvez essa morte seja eter-na! Porque nós não tivemos coragem de tirar a mão do queixo, de descruzar os nossos bra-ços, de expor a nossa vida ao ridículo. Eu farei o impossível, o ridículo, o audacioso, o que for para evangelizar. Eu não sei fazer, nem pensar outra coisa que não seja evangelizar. Jamais esquecer de evangelizar, ter o tormento de evangelizar. Por uma vida unida a Deus por uma vida entregue a Deus por que nós recebemos um carisma de pesca milagrosa ,nós recebemos a graça da salvação, a vida de intimidade com Deus, de evangelização e por isso nós vamos querer levar para todos os homens. E lembrando que salvar alma é a honra de Deus. A Honra de Deus é salvar almas!
Comunidade Shalom
Postar um comentário